DSS no terriório local

Por Equipe Editorial do Portal DSS Brasil

14/08/11 | 00:08

Aqui você encontra publicações relacionadas a pesquisas em territórios específicos, a exemplo de projetos de monitoramento de situação de saúde em Itaboraí e o projeto Bocaina, em Paraty. Clique nos links abaixo.

Autor da metodologia apresenta projeto na ENSP/Foto: Virgínia Damas/ENSP/Fiocruz

Autor da metodologia de monitoramento de situação de saúde em Itaboraí apresenta seu estudo na ENSP/Foto: Virgínia Damas/ENSP/Fiocruz

1. Projeto desenvolve metodologia de monitoramento de situação de saúde em Itaboraí

Um projeto do pesquisador Pedro Alves Filho realizado na Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca através do Centro de Estudos Políticas e Informação sobre Determinantes Sociais da Saúde, que foi iniciado sob a coordenação do pesquisador Alberto Pellegrini Filho e hoje está sob a coordenação da pesquisadora Patrícia Tavares Ribeiro, está desenvolvendo uma metodologia inovadora. Esta é focada no estudo da vulnerabilidade social e seus reflexos sobre a saúde da população dos municípios localizados no entorno do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj). O trabalho consiste em um estudo de campo e na análise dos quadros de vulnerabilidade social baseada em dados de órgãos oficiais, como no caso do IBGE, que informam renda, escolaridade e local de moradia e permitem a geração de uma base de informações sobre condições sociais e agravos em saúde.

 

2. Geoprocessamento à serviço da saúde

Em entrevista sobre o projeto da metodologia de monitoramento de situação de saúde em Itaboraí (entorno do Comperj) o pesquisador Anselmo Romão destaca a importância do uso do geoprocessamento na aferição da situação de saúde de uma região. “A possibilidade do uso conjugado dos sistemas de informações em saúde, e de base de dados georreferenciadas amplia a interface entre a epidemiologia e geoprocessamento, possibilitando cada vez mais a interação entre esses dois ramos do conhecimento”.  Ele cita ainda o tipo de situação que esta pesquisa permite identificar, destacando a funcionalidade da mesma para a gestão de saúde local.

3. Entrevista com Pedro Alves Filho: Pesquisador desenvolve metodologia de monitoramento de saúde no entorno do Comperj

Pesquisador fala da Elaboração de metodologia para análise das iniquidades em saúde relacionadas às populações vulneráveis na área do município de Itaboraí que vem desenvolvendo. O estudo, iniciado sob a coordenação do pesquisador Alberto Pellegrini Filho, que aposentou-se na coordenação do CEPI DSS e hoje sob a orientação da pesquisadora Patrícia Tavares Ribeiro, atual coordenadora, analisa os impactos nas condições de vida da população local. Pedro Alves Filho fala sobre como obras de grande dimensão geram mudanças e afetam o meio ambiente e a vida da população de múltiplas formas, o que inclui fatores que contribuem para o surgimento de complicações de saúde. “O monitoramento analítico do quadro de morbimortalidade, no município de Itaboraí e entorno do Comperj, visa contribuir para o entendimento, análise e monitoramento das iniquidades em saúde, assim como na proposição de estratégias para minimização de riscos de adoecimento e de morte que eventualmente possam emergir no decorrer do processo de implantação e consolidação do Complexo Petroquímico”, destacou ele.

4. Monitoramento de condições de saúde no entorno do Comperj

Criado em 2007, através de uma parceria com a Petrobras, que financia os estudos, o projeto do Plano de Monitoramento Epidemiológico da Área de Influência do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj) pesquisa as condições de vida e saúde na região, sob a orientação dos pesquisadores Luciano Toledo e Paulo Sabroza, do Laboratório de Monitoramento Epidemiológico (LabMep) da ENSP.

5. Luciano Toledo fala do monitoramento da situação de saúde no entorno do Comperj

Pesquisador da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca fala a respeito do projeto destacado na entrevista de Paulo Sabroza e na materia publicada na sessão “Notícias” deste portal. O início do monitoramento da situação de saúde no entorno do Comperj data de 2008.

6. A importância do mapeamento da tuberculose em Itaboraí

Em entrevista concedida ao Portal DSS Brasil, Maria José Fernandes Pereira, da Coordenação de Tuberculose do Município de Itaboraí, fala sobre a Elaboração de metodologia para análise das iniquidades em saúde relacionadas às populações vulneráveis na área do município de Itaboraí, estudo do pesquisador Pedro Alves Filho, realizado através do Centro de Estudo Políticas e Informação sobre Determinantes Sociais da Saúde (CEPI DSS).

7. CEPI DSS E LabMep apresentam metodologia de monitoramento da tuberculose em Itaboraí

No dia 9 de junho o Centro de Estudos Políticas e Informação sobre Determinantes Sociais da Saúde (CEPI DSS) e o Laboratório de Monitoramento de Grandes Empreendimentos (LabMep) da ENSP/Fiocruz promoveram o evento Iniquidades em saúde e populações vulneráveis para apresentar a Metodologia para análise das iniquidades em saúde relacionadas às populações vulneráveis na área do município de Itaboraí, desenvolvida pelo pesquisador Pedro Alves Filho.

8. DSS no território local: LabMep/ENSP monitora as condições de saúde no entorno do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj)

O Portal DSS Brasil destaca um projeto iniciado em 2008, quando a Petrobras convidou o Laboratório de Monitoramento Epidemiológico de Grandes Projetos de Desenvolvimento (LabMep) da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP) para realizar um diagnóstico da situação de saúde na região das obras de um futuro empreendimento que a empresa viria a instalar na região Metropolitana do Rio de Janeiro, o denominado Comperj. “Então em 2008 nós fizemos um diagnóstico preliminar da situação de saúde. Emitimos um parecer institucional da ENSP/Fiocruz, sobre a situação de 14 municípios que foram analisados. Destes 14 analisamos com mais ênfase os três mais próximos do local de instalação do empreendimento. A grande região analisada engloba municípios de Niterói até Casemiro de Abreu”, ressalta Luciano Toledo, professor, pesquisador e gestor do projeto. Acesse.

Andreia Setti, do Projeto Bocaina/ Foto: arquivo pessoal

Andreia Setti, do Projeto Bocaina/ Foto: arquivo pessoal

 

9. DSS no território local: O Projeto Bocaina trabalhando em prol da saúde e da sustentabilidade

Iniciado no ano de 2009 o Projeto Bocaina (PB), uma pesquisa-ação que tem foco em ações estruturais e estruturantes de promoção da saúde e de sustentabilidade socioambiental integradas à agenda das comunidades tradicionais, do Mosaico Bocaina mantém-se como um modelo de ação em prol da sustentabilidade e da saúde em no território local.

 

Equipe Editorial do Portal DSS Brasil

11 Comentários em “ DSS no terriório local ”

  1. MILENA
    28/03/16 - 11:03

    Quando os nossos projetos sociais forem executados de maneira correta, juntamente com o governo, promovendo um ambiente o qual a população se sinta confortável de fato isso será proveitoso. A falta de saneamento em algumas regiões e localidades em nosso país traz muitas doenças a nossa população trazendo uma desigualdade muito grande.

  2. Vânia M.S.R. Moreira
    30/03/16 - 22:03

    Acho muito válido e interessante estes projetos, admiro pessoas que se preocupam com pessoas. Mas, esta faltando órgãos executores. O importante é saber que tudo dará certo, porque já esta sendo testado neste momento.

  3. janaina
    01/04/16 - 21:04

    Muito bom!

  4. Marcio
    03/04/16 - 13:04

    Projetos muito bem feitos, o desenvolvimento inteiro de uma área muito importante para qualquer empresa que quer crescer em um quadro geral e mundial, estudos aprofundados aonde há a maior carência da população!

  5. ahgomercher
    04/04/16 - 15:04

    Muito Interessante pra conhecimento da população e um incentivo para os governantes de priorizar saúde e o bem estar da população por uma qualidade de vida

  6. Sidonal
    04/04/16 - 16:04

    Seria interessante termos como analisar o relatório desse projeto, pois do principio ao fim do texto resumiu em informar as apresentações sobre o projeto. Mas, é evidente que nos locais onde há grandes empreendimentos ocorra impacto na comunidade, pois o movimento de trabalhadores aquecem o mercado imobliario e o comercio local, assim como traz receita ao município o empreendimento, também, traz aos municípios vizinhos, assim como mais necessidades de atendimento básicos ou complexos de saúde, muitas vezes ocorrem mortes por acidentes de trabalho por falta de segurança e fiscalização.

  7. michelle godinho
    07/04/16 - 23:04

    O estudo sobre a rentabilidade da sociedade é importante para colocar em prática serviços que são necessarios para a comunidade .

  8. Guilherme Pires
    28/09/16 - 12:09

    Interessante estes projetos, basta, aplica-los de maneira efetiva.

  9. juliano da silva cardoso
    28/09/16 - 12:09

    as ações realizadas fortificam o conhecimento e são importantes para obter melhores resultados e ações em saúde.

  10. fatima florisbello da silva
    28/09/16 - 21:09

    Achei muito importante para sabermos nossos direitos aos serviços sociais necessários a comunidade.

  11. Ana cláudia
    03/10/16 - 12:10

    que bom saber que existem pessoas que entendem e que trabalham para diminuir as desigualdades nesta área.

Deixe um comentário