Pesquisa mostra o Índice de Progresso Social na região da Amazônia Legal

Por Jaqueline Pimentel

24/08/14 | 06:08

Documento mostra IPS na região da Amazônia Legal

Documento mostra IPS na região da Amazônia Legal

O  Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon) tornou público neste sábado (23/08) um relatório que revela a realidade da região Amazônica no que se refere ao desenvolvimento social. O Índice de Progresso Social na Amazônia Brasileira( IPS Amazônia 2014) considerou os dados de bases oficiais do Brasil, principalmente do IBGE e utilizou como área de abrangência a região Norte, Maranhão e Mato Grosso, a chamada Amazônia Legal. Indicadores de Educação, Saúde, Meio Ambiente, Segurança e Direitos Individuais foram usados como base. Como metodologia de análise, os pesquisadores usaram a referência do Índice de Progresso Social (IPS) Global, fazendo algumas adaptações e criando uma versão brasileira. Como resultado encontraram um IPS médio de 57,31 para a área, enquanto o Brasil, como um todo, em ranking divulgado há quatro meses, marcou 67,37 .

De acordo com a instituição, o objetivo da análise através do índice usado anteriormente em escala mundial foi apontar especialmente a realidade social e ambiental da região. Estabeleceu-se uma variação de zero (pior) a 100 (melhor) nas análises onde foram incluídos 772 municípios dos nove estados da região. No site www.ipsamazonia.org.br serão disponibilizados os resultados municipais desagregados.

Em uma divisão de três partes, chamadas pelos pesquisadores de “Dimensões” foram analisados Necessidades Humanas Básicas, Fundamentos para o Bem Estar e Oportunidades. Dentro de cada um deles foram criadas categorias para a análise do quadro social. O melhor resultado relatado foi no índice que os pesquisadores classificam como Sustentabilidade dos ecossistemas (74,85), alocado na divisão de Fundamentos para o Bem Estar. Segundo eles isto ocorreu devido à queda recente no desmatamento e também a maior proporção de áreas protegidas (Terras Indígenas e Unidades de Conservação) existentes na região. Já a categoria classificada por Oportunidades teve o pior desempenho, marcando 48,33.

Os piores índices encontrados pela análise estão relacionados à educação, oferta de água e saneamento básico e aos direitos dos cidadãos, onde podem-se citar os conflitos por terras. Não foram considerados indicadores econômicos, a exemplo da renda, para que números de progresso econômico não  refletissem na análise social, uma vez que existem municípios ricos, onde o índice de desenvolvimento social ainda é baixo, e a consideração da renda, em uma análise conjunta, poderia interferir nos resultados. Esta aliás, é uma característica do IPS, que considera o desenvolvimento social como base de referência, sem priorizar índices econômicos. Na lista de países que foram analisados segundo o IPS, o Brasil ocupa a 46ª posição de 132. Se a região da Amazônia Legal passasse a integrar individualmente o ranking, estaria na posição 92. O que mostra o quão  díspar está em relação ao índice nacional.

 

Referências Bibliográficas

Santos D, Celentano D, Garcia J, Aranibar A, Veríssimo A. Índice de Progresso Social na Amazônia Brasileira: IPS Amazônia 2014 (Resumo Executivo). Belém: Imazon e Social Progress Imperative; 2014. [acesso em 25 ago 2014]. Disponível em: http://www.imazon.org.br/publicacoes/livros/indice-de-progresso-social-na-amazonia-brasileira-ips-amazonia-2014

 

Citação Bibliográfica

Pimentel J. Pesquisa mostra o Índice de Progresso Social na região da Amazônia Legal [Internet]. Rio de Janeiro: Portal DSS Brasil; 2014 Ago 24. Disponível em: http://dssbr.org/site/2014/08/pesquisa-mostra-o-indice-de-progresso-social-na-regiao-da-amazonia-legal/

Jaqueline Pimentel

Jaqueline Pimentel é jornalista, editora do Portal DSS Brasil, especialista em Gestão e Pós-Graduanda em Saúde Pública.

Deixe um comentário