OMS lança novo manual com objetivo de fortalecer sistemas de saúde para responder melhor às mulheres sobreviventes de violência

Por OPAS/OMS Brasil

28/11/17 | 16:11

A violência contra as mulheres é um grande problema de saúde pública, uma questão de desigualdade de gênero e uma grave violação aos direitos humanos. Inclui violência física, sexual e psicológica por parte do parceiro e também violência sexual por parte de não parceiros. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que uma em cada três mulheres em todo o mundo já sofreu violência física e/ou sexual, cometida principalmente pelo parceiro.

A violência prejudica a saúde das mulheres de várias formas e provoca consequências imediatas e de longo prazo que podem ser óbvias ou veladas. As mulheres que a vivenciam são mais propensas a procurar cuidados de saúde, embora geralmente não divulguem a violência como o motivo da busca de atendimento. Os prestadores de serviços de saúde, portanto, têm um papel importante a desempenhar na identificação de mulheres vítimas de violência e devem atender com empatia. Para que os profissionais possam responder adequadamente, os sistemas de saúde precisam ser fortalecidos a fim de que as mulheres recebam cuidados de alta qualidade, além de respeito.

Por isso, a OMS lançou um novo manual para ajudar os gestores de saúde e os decisores políticos a fortalecer os sistemas de saúde e oferecer uma melhor qualidade de atendimento às mulheres sujeitas à violência.

Sobre o novo manual

O manual se baseia nas diretrizes clínicas e políticas da OMS para responder à violência por parte de parceiros e violência sexual contra mulheres (2013). Também fornece orientações aos gestores de saúde e aos formuladores de políticas para o planejamento, gerenciamento e monitoramento de serviços, com o intuito de atender às necessidades de saúde física e psicológica de mulheres e meninas, bem como para garantir que as necessidades atuais de segurança, apoio e saúde mental sejam abordadas.

Embora o cuidado com as mulheres submetidas à violência necessite estar disponível em todos os níveis da assistência médica, a OMS recomenda que sejam integrados nos cuidados de saúde primária. Os serviços de saúde também proporcionam uma oportunidade importante para conectar as mulheres a outros serviços sociais e jurídicos de apoio.

Plano Global de Ação sobre Violência da OMS

Este manual apoia a implementação do “Global plan of action to strengthen the role of the health system within a national multisectoral response to address interpersonal violence, in particular against women and girls, and against children” - aprovado pelos Estados Membros na Assembleia Mundial da Saúde, em 2016.

Dia Internacional da Eliminação da Violência Contra a Mulher

O novo manual da OMS está sendo lançado no marco do Dia Internacional para a Eliminação da Violência Contra a Mulher, realizado todos os anos no dia 25 de novembro. Esse importante evento é marcado por indivíduos e organizações em todo o mundo para aumentar a conscientização sobre essa questão global e tomar posição para combater a violência contra mulheres e meninas.

Essa data é acompanhada por 16 dias de ativismo contra a violência baseada em gênero – até 10 de dezembro, Dia dos Direitos Humanos (no Brasil, a campanha é celebrada por um tempo maior, entre os dias 20 de novembro e 10 de dezembro). Durante esse período, as pessoas são encorajadas a usar laranja e vários edifícios estão sendo iluminados pela mesma cor, simbolizando um futuro sem violência.

 

Fonte: OMS lança novo manual com objetivo de fortalecer sistemas de saúde para responder melhor às mulheres sobreviventes de violência. Brasília: OPAS/OMS Brasil; 2017 Nov 24. [acesso em 28 nov 2017]. Disponível em: http://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=5552:oms-lanca-novo-manual-com-objetivo-de-fortalecer-sistemas-de-saude-para-responder-melhor-as-mulheres-sobreviventes-de-violencia&Itemid=820

 

 

OPAS/OMS Brasil

Deixe um comentário