‘Cadernos de Saúde Pública’ destaca o combate às desigualdades

Por Informe Ensp

18/07/18 | 16:07

Já está disponível a edição de julho da revista Cadernos de Saúde Pública (vol. 34 n.7). Em destaque, os 30 anos do SUS. “O contexto de crise política e ameaças de desmonte do Estado e dos direitos sociais, nos fazem refletir sobre a urgência da construção de propostas alternativas que possam combater as desigualdades em suas múltiplas dimensões e determinações.” Outro foco da publicação é o 12º Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva (Abrascão 2018), que, pela primeira vez, será realizado na Fiocruz, de 26 a 29 deste mês. Os editorialistas Nísia Trindade Lima e Guilherme Franco Netto destacam que a sociedade brasileira encontra-se às vésperas do novo período presidencial, e à área de saúde coletiva caberá uma vez mais a formulação de propostas que permitam a defesa do SUS, da democracia e do futuro de um país onde os direitos sociais, civis e o desenvolvimento sustentável econômico, social e ambiental possam se efetivar. “É um sopro de esperança para todos os que, apostando numa agenda efetivamente democrática, defendem o papel da ciência, tecnologia e inovação em saúde na construção de um mundo mais justo e solidário.”

Nessa edição do CSP, o ensaio Da evidência à ação: desafios do Sistema Único de Saúde para ofertar a profilaxia pré-exposição sexual (PrEP) ao HIV às pessoas em maior vulnerabilidade analisa que a profilaxia pré-exposição sexual (PrEP) tem sido considerada estratégica e promissora no controle da epidemia de HIV globalmente. Contudo, faz-se necessário transpor o conhecimento acumulado pelos estudos de eficácia e demonstrativos à realidade dos serviços e das populações mais vulneráveis à infecção, de forma a alcançar ampla cobertura da PrEP. Propõe-se uma reflexão sobre tal desafio enfocando duas dimensões: os usuários da profilaxia, com ênfase nos contextos de práticas e de potencial exposição ao HIV; as vantagens comparativas da profilaxia em relação aos demais métodos e os desafios para um uso protetivo e seguro; e os serviços, considerando os princípios organizativos que poderão conferir maior êxito na oferta e na incorporação da PrEP, no bojo das estratégias de prevenção combinada.

No espaço temático da publicação, estão disponíveis dois artigos. O primeiro,  Para além da privacidade: direito à informação na saúde, proteção de dados pessoais e governança, de Miriam Ventura e Cláudia Medina Coeli,  aborda o direito à privacidade, proteção dos dados pessoais e à informação, como direitos fundamentais e subjetivos do cidadão, que representam pilares do Estado de Direito Democrático e exigem ampla participação social.

O outro artigo do espaço temático Dimensões da privacidade das informações em saúde, de Tania Margarete Mezzomo Keinert e Carlos Tato Cortizo, trata da privacidade das informações em saúde, que é um tema contemporâneo por serem escassas as análises sobre privacidade nas práticas em saúde que se utilizam das novas tecnologias de informação e comunicação (TICs). Para evitar o acesso indevido aos dados pessoais, segundo o artigo, faz-se necessária uma política de administração dessas informações, a fim de evitar sua manipulação descuidada, o que facilita sua difusão pública, quer acidental, quer intencional.

Na seção Perspectivas, o artigo Uso de sistemas vegetados e os impactos na promoção da saúde, de Renato Castiglia Feitosa e Sara Wilkinson, discorre sobre a ocorrência de elevadas temperaturas nos centros urbanos, que possui efeitos diretos e indiretos sobre a saúde humana. A disseminação de sistemas vegetados modulares em larga escala pode contribuir na melhoria das condições de salubridade nos grandes centros urbanos por sua capacidade de atenuar a poluição atmosférica, ilhas de calor, descargas pluviais e promover conforto térmico no interior de habitações. A característica modular facilita sua implantação e manutenção por serem removíveis. Entretanto, é importante ressaltar que a instalação em paredes e fachadas é de maior complexidade, uma vez que serão necessários elementos para sua fixação, tais como guias e andaimes.

Os demais artigos podem acessados no Cadernos de Saúde Pública (vol. 34 n. 7).

 

Fonte: ‘Cadernos de Saúde Pública’ destaca o combate às desigualdades. Rio de Janeiro: Informe Ensp; 16 Jul 2018. [acesso em 18 jul 2018]. Disponível em: http://www.ensp.fiocruz.br/portal-ensp/informe/site/materia/detalhe/44075

 

Informe Ensp

1 Comentário em “ ‘Cadernos de Saúde Pública’ destaca o combate às desigualdades ”

  1. Rosemari Silva
    20/08/18 - 09:08

    Grata surpresa, ao me deparar com matérias de tamanha relevância para os profissionais de saúde e população em geral.
    Sendo esta uma área pela qual me apaixono cada vez mais, tenho certeza das inúmeras contribuições que serão adquiridas por aqui.
    O SUS precisa resistir!

    Rosemari Silva
    Assistente Social

Deixe um comentário