Arquivo de Entrevistas

MarkoAkerman-entrevista-destaque

A CMDSS aconteceu num momento importante do mundo em que a crise financeira assola muitos países

A CMDSS não foi capaz de ganhar espaços significativos nos meios de comunicação e em outros setores de governo e da academia, para além do setor saúde. Porém, deu relevância ao debate sobre modos distintos de enfrentar a crise. O Brasil foi saudado pelo caráter inclusivo das políticas sociais e econômicas. Devemos avançar com com a ampla disseminação do evento.

Entrevista com Marco Akerman | 03/11/11 - 23:11 | [Leia Mais] |

OscarFeo-entrevista-destaque

Para assumir o tema dos DSS necessitamos uma OMS renovada e revitalizada

A Declaração do Rio foi enriquecida em seu conteúdo político e conceitual com relação à crise global, democracia e participação dos movimentos sociais pela participação ativa da UNASUL, a pressão das organizações sociais e o decidido apoio da delegação do Brasil. Destaca-se a menção à reforma da OMS e a necessidade de incorporar-lhe o enfoque de determinantes sociais.

Entrevista com Oscar Feo | 02/11/11 - 23:11 | [Leia Mais] |

Roberto Smeraldi

Além do reconhecimento de estratégias já definidas não avançamos em termos de compromissos e de ação

Para avançar a Declaração do Rio é preciso que, primeiro, os chefes de estado e de governo assumam esta pauta e, em seguida, que a distribuam transversalmente para os setores relacionados com os determinantes sociais. O tema deve ser levado para a assembleia geral da ONU, para a OMC, para as instituições relevantes e adaptar suas políticas e cooperação técnica.

Entrevista com Roberto Smeraldi | 01/11/11 - 19:11 | [Leia Mais] |

Jairnilson Silva Paim/ http://www.ensp.fiocruz.br/radis/?q=node/3497&revista_radis=Mat%C3%A9ria+da+Capa (Foto: Dayane Martins)

Com retórica ambígua sobre o bem-estar dos cidadãos a Declaração do Rio não avança estratégias para mudanças políticas e econômicas

A CMDSS expressou a hegemonia dos Estados Unidos e aliados, com pouco espaço para o debate, reflexão e crítica. Ainda assim, muitos brasileiros, organizações e movimentos sociais manifestaram a sua posição face a crise financeira global e contra a mercantilização da vida e a banalização do conceito de determinantes sociais da saúde.

Entrevista com Jairnilson Silva Paim | 31/10/11 - 16:10 | [Leia Mais] | 2 Comentários »

ron-labonté-destaque-1

To what extent the Rio Declaration normative statement will trickle down into changed behaviours within governments?

Labonté says CMDSS fulfilled its mission of creating rules that do refer to actions against the deterioration of living conditions. He believes that commitments made by governments are useful points for society to ask for reply. “But lack a clear definition of what will be done. There are no goals”.

Entrevista com Ronald Labonté | 28/10/11 - 13:10 | [Leia Mais] |

ron-labonté-destaque-1

Até que ponto o caráter normativo da Declaração do Rio se traduzirá em mudanças de comportamentos dos governos?

Para Labonté, CMDSS cumpriu sua missão no que se refere à normatização de ações contrárias a deterioração das condições de vida. Ele acredita que compromissos assumidos pelos governos são pontos de referência úteis para que se peça prestação de contas. “Mas falta uma definição clara do que será feito. Não há metas”, pondera.

Entrevista com Ronald Labonté | 28/10/11 - 02:10 | [Leia Mais] |

Rudiger Krech / Foto: site whcaonline

A crise financeira global tem intensificado as desigualdades sociais e de saúde em todo o mundo e o momento clama por sociedades mais justas

A OMS deve “mudar o discurso sobre os determinantes sociais da saúde indo de o “quê” e o “porquê” para o “como” e demonstrar que existem soluções políticas eficazes” afirma o Diretor da OMS. Destaca a presença de autoridades, a Declaração do Rio e a futura plataforma Web sobre DSS.

Entrevista com Rüdiger Krech | 10/10/11 - 15:10 | [Leia Mais] |