Notícias sobre Determinantes Sociais da Saúde

s

Audiovisual e determinação social da saúde são temas de próximo seminário do Centro de Estudos

A determinação social da saúde é um conceito que teve grande importância na formação da epidemiologia social latino-americana e na história do movimento sanitário brasileiro. No próximo dia 12 de julho, às 9h, essas relações serão discutidas pelo Centro de Estudos do Icict no seminário “O audiovisual como estratégia de comunicação: olhares sobre a determinação social da saúde”. O evento marca o lançamento da série em DVD sobre Determinação Social da Saúde, realizado pela VideoSaúde Distribuidora da Fiocruz/Icict em parceria com a Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde (SVS/MS), com a cooperação do Departamento de Endemias/Ensp e do Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas (INI/Fiocruz). O projeto teve como objetivo promover ações de comunicação em saúde para a promoção, prevenção e controle de doenças transmissíveis e não transmissíveis no âmbito de atuação da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde.

Por Daniela Muzi -VideoSaúde | 01/07/16 - 13:07 | [Leia Mais] |

Avião

Entidades criticam lei que prevê pulverização aérea de inseticida contra o Aedes

O Fórum Nacional de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos (FNDCIA) divulgou nota em que reprova a sanção presidencial. De acordo com o procurador regional do Ministério Público do Trabalho (MPT) em Pernambuco, Pedro Serafim, coordenador nacional da entidade, a lei tem potencial para causar doenças nos seres humanos e outras espécies, além de perdas econômicas. Nós vemos um retrocesso muito grave para a saúde pública. O fumacê não resolveu, tem tornado o mosquito resistente, e não vai ser com essa pulverização desordenada, que pouco alcança o alvo, que vai resolver”, criticou.
O coordenador do Grupo de Saúde e Ambiente da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco), Marcelo Firpo, classificou a autorização prevista na lei como um “retrocesso civilizatório”. Segundo ele, as áreas afetadas vão ser usadas como laboratórios. “Vai fazer da população em geral um grande espaço de experimentação humana com substâncias perigosas, cujos efeitos só vão aparecer anos depois.”

Por Sumaia Villela - Agência Brasil | 30/06/16 - 16:06 | [Leia Mais] | 1 Comentário »

radis

Vulnerabilidade para além da caridade

As questões ligadas à saúde da população em situação de rua são muito mais complexas do que é possível ver nas praças e calçadas dos centros urbanos. Para começar, estas pessoas vivem em condição de vulnerabilidade, reforçada pela desigualdade de acesso aos direitos fundamentais e pelo estigma que acompanha sua condição. “O reconhecimento dessas pessoas como cidadãos de direitos é recente e ainda não é acolhido na sociedade”, adverte o texto da cartilha Saúde da População em Situação de Rua: um direito humano, lançada em 2015 pelo Ministério da Saúde. O material educativo, destinado a sensibilizar gestores e profissionais de saúde, reforça que até 2009, ano em que foi aprovada Política Nacional para a População em Situação de Rua, as ações do Estado e da sociedade civil destinadas a este público se baseavam em uma ótica assistencialista e higienista, sem levar em consideração suas especificidades e a importância da participação social na efetivação dos direitos e da cidadania.

Por Adriano De Lavor - Radis | 23/06/16 - 17:06 | [Leia Mais] |

Brasil Debate

Bolsa Família: um direito humano ao qual não se admite retrocessos

No atual momento de instabilidade política, têm sido frequentes as discussões sobre o papel do Programa Bolsa Família (PBF) no Brasil. São poucas, no entanto, as discussões que inserem essa política em um cenário de componente da seguridade social, vista efetivamente como direito, para além de um instituto que simplesmente favorece o desenvolvimento social e econômico. É indiscutível que a segurança de renda é fundamental para a promoção do desenvolvimento econômico, estimulando a demanda agregada e atuando como estabilizadora social em momentos de crise. Ela atua, ainda, de modo crucial no desenvolvimento social, pois promove igualdade de oportunidades, contribuindo para a redução da pobreza e da desigualdade.

Por Iara Azevedo Vitelli Viana - Brasil Debate | 09/06/16 - 15:06 | [Leia Mais] |

Tuberculose e DSS

Sessão científica relaciona os determinantes sociais à produção da tuberculose

No dia 8 de junho, às 10 horas, o Centro de Referência Professor Hélio Fraga, da ENSP/Fiocruz, promoverá a sessão científica Tuberculose e Determinantes Sociais, com palestra do pesquisador Alexandre San Pedro. Na atividade, Alexandre, que é membro do Laboratório de Monitoramento Epidemiológico de Grandes Empreendimentos da ENSP (LabMep), apresentará um estudo sobre a tuberculose como marcadora de iniquidade social em saúde. “A ideia é destacar questões relacionadas aos determinantes sociais de produção deste grave problema de saúde pública em uma área sob intensa transformação socioespacial – o município de Itaboraí”, afirmou o palestrante. A atividade é aberta aos interessados.

Por Informe ENSP | 06/06/16 - 16:06 | [Leia Mais] |

Abrasco

Cenário político dá o tom na abertura da 22ª Conferência de Promoção da Saúde

Mais de 1.500 pessoas prestigiaram a abertura da 22ª Conferência internacional de Promoção da Saúde, realizada ontem, 22 de maio, no Grande Auditório do Teatro Positivo, na cidade de Curitiba (PR). Organizado pela União Internacional para Promoção da Saúde e Educação (UIPES), Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba e Abrasco, o encontro marca a atualidade dos debates sobre a visão ampliada de saúde, que envolve o reconhecimento da diversidade e da intersetorialidade como elemento central para qualidade de vida. As primeiras palavras foram de Simone Tetu Moyses, integrante do comitê global de organização, que deu boas-vindas aos participantes e ressaltou valores como solidariedade e coragem, fundamentais para quem acredita em um novo tipo de fazer saúde.

Por Bruno C. Dias - Abrasco | 31/05/16 - 16:05 | [Leia Mais] |

paulobuss

Ex-presidente da Fiocruz é nomeado comissário da Opas

A comissão aprofundará os conhecimentos sobre os principais determinantes sociais da saúde nas Américas, com forte ênfase sobre fatores que influenciam a saúde como gênero, etnicidade, economia, respeito aos direitos humanos, cultura, política e meio-ambiente. O grupo foi estabelecido pela Opas/OMS com o propósito de avaliar as associações entre as desigualdades sociais e os índices de saúde no continente, para então formular recomendações práticas e eficazes em termos de políticas públicas capazes de reduzir as inequidades nas Américas. A comissão trabalhará de acordo com a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, das Nações Unidas, e com o Plano Estratégico 2014-2019 da Opas/OMS.

Por André Costa - Agência Fiocruz de Notícias/AFN | 11/05/16 - 15:05 | [Leia Mais] | 1 Comentário »