Notícias sobre Determinantes Sociais da Saúde

radis

Revista ‘Radis’ de julho traz debate sobre a cultura do estupro

A revista Radis de julho traz, em sua reportagem de capa, um tema urgente: a necessidade de se debater e combater a cultura do estupro em nossa sociedade. O assunto veio à tona com a notícia do estupro coletivo de uma jovem no Rio de Janeiro em maio. Além da reportagem, que aborda a forma como o sistema de saúde recebe e cuida das vítimas de estupro, a revista traz uma entrevista com a antropóloga Lia Zanotta Machado, da Universidade de Brasília (UNB), mostrando que a desigualdade entre os gêneros e a ideia secular de que o homem é dono da mulher estão na origem de uma cultura que banaliza o estupro. Impulsionada pela barbárie dos estupros coletivos denunciados e noticiados no mês de maio, uma vigorosa reação das mulheres, notadamente jovens feministas, coloca o dedo na chaga do machismo e das leis — as atuais, que desprotegem as mulheres, e aquelas em tramitação, ainda mais retrógradas. É grave a percepção de que há, na sociedade, uma cultura do estupro, que, implicitamente, acoberta a violência contra mulheres e culpabiliza as vítimas, diz o texto.

Por Vilma Reis - Abrasco | 20/07/16 - 14:07 | [Leia Mais] |

América Latina em foco no próximo debate online da série Futuros do Brasil, do CEE-Fiocruz

A América Latina e seus caminhos, após o giro à esquerda empreendido no começo dos anos 2000, estará em foco no próximo debate online da série Futuros do Brasil, do Centro de […]

Por Centro de Estudos Estratégicos Fiocruz | 19/07/16 - 16:07 | [Leia Mais] |

tuberculose

Combate à TB: vídeos de encontro já estão disponíveis no Youtube

Realizado na ENSP no âmbito das comemorações pelo Dia Mundial de Combate à Tuberculose, o debate reuniu especialistas da área e tratou das diversas dimensões da cidadania. Além do sociólogo e diretor do Ibase, Cândido Grzybowski, o evento contou a presença da superintendente do Canal Saúde, Márcia Correa e Castro; de Wagner Oliveira, do Selo Fiocruz; da produtora e roteirista do documentário ‘Diários de Tuberculose – epidemia oculta’, Ieda Rozenfeld; além do coordenador do Observatório Tuberculose Brasil da ENSP, Carlos Basília; e da figurinista e roteirista Bia Salgado.
O sociólogo Cândido Grzybowski proferiu a palestra Cidadania e Saúde, realizada na ENSP em alusão ao Dia Mundial de Combate à Tuberculose. Cândido, que falou sobre as várias dimensões da cidadania, ressaltou a importância de se perceber e reconhecer, em sociedade, como um indivíduo titular de direitos.

Por Informe Ensp | 13/07/16 - 18:07 | [Leia Mais] |

alexandre

Determinantes sociais da saúde e tuberculose: uma relação mais que direta

O Centro de Referência Professor Hélio Fraga (CRPHF/ENSP) promoveu uma sessão científica com o intuito de discutir a relação entre os determinantes sociais da saúde e a tuberculose. A atividade teve a participação do pesquisador colaborador do Departamento de Endemias Samuel Pessoa (Densp/ENSP) e membro do Laboratório de Monitoramento Epidemiológico de Grandes Empreendimentos da ENSP (LabMep), Alexandre San Pedro Siqueira, que apresentou um estudo sobre a tuberculose como marcadora de iniquidade social em saúde. Fruto de sua tese de doutorado, a pesquisa Os determinantes sociais da tuberculose: uma análise intraurbana em área de implantação de um importante projeto de desenvolvimento econômico na Região Leste do Estado do Rio de Janeiro aponta associação entre a precariedade das condições de vida e a ocorrência de tuberculose.

Por Informe Ensp | 05/07/16 - 10:07 | [Leia Mais] | 1 Comentário »

s

Audiovisual e determinação social da saúde são temas de próximo seminário do Centro de Estudos

A determinação social da saúde é um conceito que teve grande importância na formação da epidemiologia social latino-americana e na história do movimento sanitário brasileiro. No próximo dia 12 de julho, às 9h, essas relações serão discutidas pelo Centro de Estudos do Icict no seminário “O audiovisual como estratégia de comunicação: olhares sobre a determinação social da saúde”. O evento marca o lançamento da série em DVD sobre Determinação Social da Saúde, realizado pela VideoSaúde Distribuidora da Fiocruz/Icict em parceria com a Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde (SVS/MS), com a cooperação do Departamento de Endemias/Ensp e do Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas (INI/Fiocruz). O projeto teve como objetivo promover ações de comunicação em saúde para a promoção, prevenção e controle de doenças transmissíveis e não transmissíveis no âmbito de atuação da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde.

Por Daniela Muzi -VideoSaúde | 01/07/16 - 13:07 | [Leia Mais] |

Avião

Entidades criticam lei que prevê pulverização aérea de inseticida contra o Aedes

O Fórum Nacional de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos (FNDCIA) divulgou nota em que reprova a sanção presidencial. De acordo com o procurador regional do Ministério Público do Trabalho (MPT) em Pernambuco, Pedro Serafim, coordenador nacional da entidade, a lei tem potencial para causar doenças nos seres humanos e outras espécies, além de perdas econômicas. Nós vemos um retrocesso muito grave para a saúde pública. O fumacê não resolveu, tem tornado o mosquito resistente, e não vai ser com essa pulverização desordenada, que pouco alcança o alvo, que vai resolver”, criticou.
O coordenador do Grupo de Saúde e Ambiente da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco), Marcelo Firpo, classificou a autorização prevista na lei como um “retrocesso civilizatório”. Segundo ele, as áreas afetadas vão ser usadas como laboratórios. “Vai fazer da população em geral um grande espaço de experimentação humana com substâncias perigosas, cujos efeitos só vão aparecer anos depois.”

Por Sumaia Villela - Agência Brasil | 30/06/16 - 16:06 | [Leia Mais] | 1 Comentário »

radis

Vulnerabilidade para além da caridade

As questões ligadas à saúde da população em situação de rua são muito mais complexas do que é possível ver nas praças e calçadas dos centros urbanos. Para começar, estas pessoas vivem em condição de vulnerabilidade, reforçada pela desigualdade de acesso aos direitos fundamentais e pelo estigma que acompanha sua condição. “O reconhecimento dessas pessoas como cidadãos de direitos é recente e ainda não é acolhido na sociedade”, adverte o texto da cartilha Saúde da População em Situação de Rua: um direito humano, lançada em 2015 pelo Ministério da Saúde. O material educativo, destinado a sensibilizar gestores e profissionais de saúde, reforça que até 2009, ano em que foi aprovada Política Nacional para a População em Situação de Rua, as ações do Estado e da sociedade civil destinadas a este público se baseavam em uma ótica assistencialista e higienista, sem levar em consideração suas especificidades e a importância da participação social na efetivação dos direitos e da cidadania.

Por Adriano De Lavor - Radis | 23/06/16 - 17:06 | [Leia Mais] |