Notícias sobre Determinantes Sociais da Saúde

Por que a solidão é um problema de saúde pública?

São crescentes as evidências em torno do complexo desafio de acabar com a solidão. Na Inglaterra, o assunto é tratado com seriedade, pois além das medidas propostas pelo governo, há também uma campanha pelo fim da solidão onde o público-alvo são os idosos. Ressalta-se que mais da metade dos idosos com 75 ou mais idade vivem sozinhos. Dados apontam que de 6% a 13% dos ingleses com idade superior a 65 anos dizem se sentir sempre muito solitários. Em relação às redes sociais, apenas 7% dos idosos dizem ter contato com a família, amigos e vizinhos menos de uma vez por semana, e 11% entram em contato com eles menos de uma vez por mês. Saber que as relações sociais interferem na duração de uma hospitalização e/ou no desenvolvimento e progressão de várias doenças é particularmente relevante para a saúde pública e para a prática clínica.

Por Gabriela Lamarca e Mario Vettore | 16/09/15 - 14:09 | [Leia Mais] |

Iniciativa vai apoiar tratamento de doenças negligenciadas e AIDS/ Imagem: Fotolia

BNDES libera recursos voltados para pesquisa sobre tratamento da AIDS em crianças e doenças negligenciadas

Nesta quinta-feira o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) divulgou a notícia da liberação de recursos para pesquisas sobre medicamentos de tratamento da AIDS para crianças e ações focadas no cuidado para doenças negligenciadas. As doenças negligenciadas alcançadas serão: leishmaniose cutânea e visceral, doença de Chagas, tuberculose, malária e outras enfermidades que acometem principalmente populações sem recursos para cuidados com a saúde. Os recursos liberados pelo BNDES são oriundos do Fundo Tecnológico do Banco (BNDES Funtec) e cobrem 90% de projeto, cujo orçamento será complementado pela Fiocruz, que irá realizarar parte das atividades previstas.

Por Jaqueline Pimentel, com informações do BNDES e do Ministério da Saúde | 11/09/15 - 17:09 | [Leia Mais] |

Como as evidências científicas interferem nas políticas sobre o uso de pesticidas no Brasil?

Segundo a Pesticide Action Network, o resíduo de pesticida mais encontrado atualmente nos alimentos é o do carbendazim. Esse fungicida é usado para controlar doenças em vegetais, cereais e frutas, principalmente nas plantações de laranja. No Brasil, vem sendo usado há mais de 20 anos com a autorização do Ministério da Agricultura, mas nos Estados Unidos está proibido devido a sua grande toxicidade. Outro pesticida que também tem sido considerado como um dos dez poluentes de maior potencial de biotoxicidade no mundo são as bifenilas policloradas (PCBs). Como os danos ambientais são de responsabilidade do Estado e de toda a sociedade, mais do que nunca devemos discutir e nos preocupar com um “meio ambiente equilibrado”, direito fundamental dos seres humanos.

Por Gabriela Lamarca e Mario Vettore | 11/09/15 - 13:09 | [Leia Mais] |

Conferência de promoção da saúde

Conferência de promoção da saúde, a ser realizada pela UIPES em Curitiba no ano de 2016. O site da conferênica já está disponível e aberto ao envio de propostas. As […]

Por Equipe Editorial do Portal DSS Brasil | 04/09/15 - 18:09 | [Leia Mais] |

FOTOLIA

Comemorado em 29 de agosto o Dia Nacional de Combate ao Fumo

Os dados oficiais mostram que o câncer de pulmão tem 90% dos casos relacionados ao hábito de fumar. As estimativas sobre incidência de casos para câncer de pulmão, traqueia e brônquio apontam 16.400 novos casos para homens e 10.930 para mulheres, apenas no ano de 2015, no Brasil. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) o tabagismo é a principal causa de morte evitável no mundo. Além da alta influência nos casos de câncer de pulmão está relacionado à 25% das mortes por doença do coração, 85% das mortes por bronquite e enfisema, 25% das mortes por derrame cerebral. Para 2030 há expectativa de um número de óbitos relacionados ao fumo que chega aos 8 milhões em todo o mundo.

Por Jaqueline Pimentel | 28/08/15 - 16:08 | [Leia Mais] |

CAPAPNS

Dados sobre a saúde de mulheres, deficientes, idosos e crianças no Brasil são divulgados pela Pesquisa Nacional de Saúde (PNS)

Na manhã desta sexta-feira o Ministro da Saúde Arthur Chioro divulgou, em entrevista coletiva no Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no Rio de Janeiro, os resultados do terceiro volume da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS). O estudo foi feito através de parceria do Ministério da Saúde com o IBGE e traçou um panorama sobre obesidade, saúde da mulher, do idoso, da criança e da pessoa com deficiência no Brasil. Foram consultados 64 mil domicílios. As informações apontaram que 6,2% da população brasileira tem algum tipo de deficiência. A Pesquisa Nacional de Saúde considerou quatro tipos de deficiências: auditiva, visual, física e intelectual.

Por Jaqueline Pimentel | 21/08/15 - 13:08 | [Leia Mais] | 1 Comentário »

PNS 2013: Em dois anos, mais da metade dos nascimentos ocorreram por cesariana

Das mulheres cujo último parto ocorreu entre 01/01/2012 e 27/07/2013, 45,3% tiveram parto normal e 54,7% fizeram cesariana, mais da metade delas (53,5%) agendadas com antecedência. É o que revela […]

Por IBGE - Sala de Imprensa | 21/08/15 - 13:08 | [Leia Mais] |