Publicações do DSS-BR

Adolescentes com HIV não sabem negociar uso de preservativo

Um estudo apresentado como dissertação de mestrado no Programa de Pós Graduação em Pediatria da Escola Paulista de Medicina da Unifesp mostrou que a maioria dos adolescentes infectados com HIV […]

Por REVISTA RADIS | 20/04/18 - 16:04 | [Leia Mais] |

Sem título

Atenção total

Em Pernambuco, desde 2011, existe o Programa Sanar, da Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE), cujo objetivo é controlar e reduzir os índices da doença. O foco do programa é o enfrentamento de doenças negligenciadas, com atenção direcionada. Além da tuberculose, engloba a hanseníase, esquistossomose, geo-helmintíase, filariose, leishmaniose visceral, doença de Chagas e tracoma.

Por REVISTA RADIS | 20/04/18 - 16:04 | [Leia Mais] |

Sem título

Metrópoles brasileiras: síntese da transformação na ordem urbana

O INCT Observatório das Metrópoles divulga o livro “Metrópoles brasileiras: síntese da transformação na ordem urbana”, lançado no dia 10 de abril em evento no Rio de Janeiro. A publicação é a última etapa do maior desafio da proposto pela rede de pesquisa: produzir uma análise comparada sobre as transformações urbanas das principais metrópoles do Brasil nos últimos 30 anos. Organizado por Luiz Cesar de Queiroz Ribeiro e Marcelo Gomes Ribeiro, o livro oferece uma contribuição relevante para a área do Planejamento urbano e Regional ao buscar sintetizar as dinâmicas locais-nacionais de convergência e divergência da ordem urbana das principais metrópoles brasileiras. “Metrópoles brasileiras: síntese da transformação na ordem urbana” é uma esforço interpretativo, fruto de uma pesquisa comparada com metodologia comum.

Por Observatório das Metrópoles | 20/04/18 - 14:04 | [Leia Mais] |

IBGE: ricos receberam 36 vezes acima do que ganharam os pobres em 2017

Em 2017, os ricos do país ganharam 36,1 vezes mais do que metade dos mais pobres. Este grupo 1% mais rico da população brasileira, em 2017, teve rendimento médio mensal de R$ 27.213. O valor representa, em média, 36,1 vezes mais do que metade do que receberam os mais pobres – cujo renda mensal foi de R$ 754 naquele ano. Em 2016, o grupo mais rico ganhava 36,3 vezes mais do que a média do rendimento de metade dos mais pobres. Os dados fazem parte da pesquisa Rendimento de todas as fontes 2017, divulgada hoje (11) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e estatística (IBGE), com base em dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua). A publicação revela que a massa de rendimento médio mensal real domiciliar per capita, em 2017, foi de R$ 263,1 bilhões.

Por Nielmar de Oliveira | 11/04/18 - 14:04 | [Leia Mais] |

tuberculose

Tuberculose atinge 10% dos presidiários do Rio de Janeiro

Cerca de 10% das pessoas privadas de liberdade (PPL) têm tuberculose ativa, frequentemente em estágio avançado, nas prisões do Estado do Rio de Janeiro. É o que mostram os resultados preliminares da pesquisa realizada pelo Grupo “Saúde nas Prisões”, da ENSP/Fiocruz, em colaboração com o Sanatório Penal da Secretaria de Administração Penitenciária do RJ (SEAP). “Apesar do empenho do Programa de Controle da TB da SEAP, que detectou em 2017 mais de 1.300 casos de TB (taxa de incidência: 2.589/100.000, cerca de 35 vezes superior à taxa de incidência na população do estado de RJ), problemas de coordenação entre as várias estruturas do sistema de saúde prisional impedem a otimização dos limitados recursos humanos e financeiros disponíveis”, afirmou a coordenadora da pesquisa e do Grupo de Pesquisa em Saúde Prisional da ENSP, Alexandra Sánchez.

Por Informe Ensp | 09/04/18 - 15:04 | [Leia Mais] |

Sem título

Mortalidade por AVC é dez vezes maior em Santa Cruz do que na Gávea

Com artigos e dissertações de mestrado e doutorado, uma das linhas de pesquisa do Instituto do Coração Edson Saad (Ices/UFRJ) aponta para a preocupante relação entre índices sociais e mortalidade por doenças cardiovasculares no estado do Rio de Janeiro. O professor emérito da UFRJ e diretor do instituto, Nelson Souza e Silva, destaca a importância dos “determinantes sociais das doenças”, conceito difundido pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para identificar as condições econômicas e sociais que influenciam a saúde humana. Ele ressalta que os estudos precisam analisar longos períodos para determinar certos fatores. “Se não olhar as séries históricas, não se vê em que condições as camadas populacionais nasceram e morreram. É preciso olhar as diferenças entre as gerações”, diz.

Por Iana Faini | 28/03/18 - 16:03 | [Leia Mais] |

Sem título

Direitos humanos devem orientar políticas de água e saneamento, diz relator da ONU

Os direitos humanos devem orientar a prestação de serviços, a regulação e as políticas públicas de água e saneamento. Se o Fórum Mundial da Água — que ocorre esta semana em Brasília (DF) — reafirmar esses princípios, será um passo importante rumo à universalização desse direito. A opinião é do relator especial da ONU para o direito à água e ao saneamento, o brasileiro Leo Heller. Para ele, a situação do Brasil ainda é preocupante, uma vez que 50% da população não tem atendimento a redes de esgoto. Na quarta-feira (20), representantes de mais de 100 países que participaram da conferência ministerial durante o evento em Brasília divulgaram uma declaração conjunta na qual fazem um “chamado urgente para uma ação decisiva sobre a água”.

Por ONU Brasil | 23/03/18 - 17:03 | [Leia Mais] | 2 Comentários »