Publicações do DSS-BR

Sem título

Direitos humanos devem orientar políticas de água e saneamento, diz relator da ONU

Os direitos humanos devem orientar a prestação de serviços, a regulação e as políticas públicas de água e saneamento. Se o Fórum Mundial da Água — que ocorre esta semana em Brasília (DF) — reafirmar esses princípios, será um passo importante rumo à universalização desse direito. A opinião é do relator especial da ONU para o direito à água e ao saneamento, o brasileiro Leo Heller. Para ele, a situação do Brasil ainda é preocupante, uma vez que 50% da população não tem atendimento a redes de esgoto. Na quarta-feira (20), representantes de mais de 100 países que participaram da conferência ministerial durante o evento em Brasília divulgaram uma declaração conjunta na qual fazem um “chamado urgente para uma ação decisiva sobre a água”.

Por ONU Brasil | 23/03/18 - 17:03 | [Leia Mais] | 2 Comentários »

Saúde Brasil 2017 – os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e indicadores relacionados à Saúde da Mulher

A primeira sessão do Ciclo de Estudos da Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS), programada para 2018, terá como tema “Saúde Brasil 2017 – os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e indicadores relacionados […]

Por Equipe Editorial do Portal DSS Brasil | 22/03/18 - 18:03 | [Leia Mais] |

Sem título

Declaração final do FAMA reafirma: “água não é mercadoria, a água é do povo”

Nesta quinta-feira (22), Dia Mundial da Água, encerra-se o Fórum Alternativo Mundial da Água (FAMA), que reuniu cerca de 7 mil pessoas por cinco dias em Brasília (DF), como contraponto ao fórum das corporações – Fórum Mundial da Água.
Compreendendo o FAMA como algo maior que um evento, as organizações que convergiram na construção da luta pela água divulgam esta declaração final. O compromisso fundamental é de se manter em luta, enraizar os processos de construção até aqui realizados e manter a mobilização viva. O documento reafirma a luta contra qualquer privatização e o estabelecimento de propriedade privada da água. O FAMA defende a água como um bem comum, ou seja, que deve ser controlado e estar a serviço do povo, reforçando o lema do encontro: “Água é direito, não mercadoria”.

Por Fórum Alternativo Mundial da Água | 22/03/18 - 17:03 | [Leia Mais] |

Sem título 1

Jovens que não estudam nem trabalham: escolha ou falta de opções?

No Brasil, 11 milhões de jovens, quase um quarto da população entre 15 e 29 anos, não estudam nem trabalham. Em um país cuja força de trabalho está ficando mais velha e começará a diminuir em 2035, um diálogo como esse soa preocupante. Para jogar luz sobre os jovens que não estudam nem trabalham, pesquisadores do Banco Mundial fizeram 77 entrevistas qualitativas com jovens pernambucanos de 18 a 25 anos, moradores tanto de zonas urbanas quanto das rurais. O resultado é o estudo “Se já é difícil, imagina para mim…”, lançado em março pelo Banco Mundial no Rio de Janeiro. Segundo a autora, Miriam Müller, é preciso desconstruir o termo “nem-nem”, que não reflete as muitas diferenças entre esses jovens e joga sobre eles um enorme estigma.

Por ONU Brasil | 22/03/18 - 12:03 | [Leia Mais] |

Hélio Fraga/ENSP promove evento em alusão ao Dia Mundial de Combate à Tuberculose

O Centro de Referência Professor Hélio Fraga da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (CRPHF/ENSP), promoverá uma atividade alusiva ao Dia Mundial de Combate à Tuberculose, celebrado em 24 de […]

Por Informe Ensp | 19/03/18 - 10:03 | [Leia Mais] |

fernando

O grande desafio da saúde pública no Brasil é o enfrentamento da violência

Se na década de 1980 o principal desafio na área da saúde pública era reduzir os índices de mortalidade infantil, “hoje o grande desafio é reduzir a mortalidade entre jovens e adolescentes que estão sendo assassinados” no campo e na cidade, diz o especialista em Saúde Ambiental Fernando Carneiro. Segundo ele, embora historicamente a violência tenha sido mais recorrente em zonas urbanas de pobreza, hoje, diz, a violência não se restringe mais às cidades. “Não existe mais aquela situação idílica de que viver no campo é sinônimo de não ter violência. Carneiro explicita as causas da violência e frisa que ela está associada ao modelo de desenvolvimento econômico, aos conflitos nas comunidades, aos problemas familiares e à ausência do Estado no campo.

Entrevista com Fernando Carneiro, concedida a Patricia Fachin | 15/03/18 - 16:03 | [Leia Mais] |

Sociedade Brasileira e o Enfrentamento às Drogas

O apresentador Paulo Bellardi conversa com o pesquisador do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Atenção ao Uso de Drogas da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Nepad/UERJ), Paulo […]

Por Programa Bate Papo na Saúde - Canal Saúde da Fiocruz | 01/03/18 - 11:03 | [Leia Mais] |