Publicações do DSS-BR

Do impacto social às metodologias da biologia de sistemas, pesquisadores apresentaram diferentes estratégias para o enfrentamento do vírus zika (foto: Gutemberg Brito, IOC/Fiocruz)

Evento destaca diferentes abordagens para combate ao zika

O aumento de casos de crianças nascidas com microcefalia no último ano tem afetado a vida de famílias e provocado mudanças no atendimento realizado por serviços de saúde no Brasil, com destaque para a região Nordeste do país, que apresenta os maiores índices de microcefalia relacionada ao zika. O pesquisador da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (Ensp/Fiocruz), Gustavo Matta, apresentou uma parceria entre a Fiocruz e instituições de pesquisa brasileiras e estrangeiras, que resultou no desenvolvimento de uma rede de investigação que busca analisar a epidemia de zika a partir da perspectiva social da doença. Criada em março de 2016, a rede ‘Ciências Sociais e Humanidades frente à epidemia de zika’ conta com cerca de 30 pesquisadores de diversas Unidades da Fiocruz, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), da Universidade de Oxford, na Inglaterra, e de outras instituições.

Por Lucas Rocha e Maíra Menezes - IOC/Fiocruz | 11/11/16 - 16:11 | [Leia Mais] |

abrasco

Problemas de saúde e vulnerabilidade da população idosa – Ciência & Saúde Coletiva Nº 21.11 (Novembro/2016)

Já são mais de 26 milhões de pessoas com idade igual ou superior a 60 anos no Brasil, o que corresponde a 13% da população. Para lidar com esse contingente crescente, o Brasil modernizou sua legislação e seus planos nacionais, de forma a incorporar as disposições previstas no Plano de Ação Internacional sobre o Envelhecimento, proposto no encontro em Madri de 2002, o qual busca assegurar que a estrutura institucional do país aborde as necessidades dos cidadãos idosos na perspectiva dos direitos humanos. Desses 26 milhões, a grande maioria é saudável, está ativa e em plena capacidade funcional. Inclusive, muitos mantêm suas famílias ou contribuem para tanto. Mas, uma parte expressiva dos idosos brasileiros possui alguma ou múltiplas dependências físicas, mentais e sociais. Essas pessoas são as mais vulneráveis a doenças, violências, negligências e abandono. É particularmente sobre esse grupo que este número temático se debruça, analisando suas fragilidades ao HIV/AIDS, doenças renais, complicações metabólicas, baixa qualidade da dieta, obesidade, uso inapropriado de medicamentos dentre vários outros assuntos.

Por ABRASCO | 11/11/16 - 16:11 | [Leia Mais] |

pnud

América Latina se compromete a fortalecer os sistemas de proteção social com foco no progresso multidimensional

Após dois dias de troca de experiências em políticas públicas relacionadas aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), à erradicação da pobreza e à redução das desigualdades, representantes da América Latina e do Caribe, reunidos no VIII Fórum Ministerial para o Desenvolvimento, assinaram a “Declaração de Santo Domingo”, um compromisso para buscar os meios mais eficientes e sustentáveis de promover o avanço da Agenda 2030 de forma integrada e de acordo com as prioridades de cada país. Os ministros, vice-ministros e altos funcionários de governos da região destacaram a necessidade de encontrar medidas para o bem-estar e o progresso multidimensional, as quais complementem as formas tradicionais de mensurar a pobreza para além da renda, com foco no fortalecimento e ampliação dos sistemas de proteção social que reduzem as desigualdades e a exclusão. Em um momento de fragilidade econômica global e dificuldades na região, o desafio é a sustentabilidade dos avanços alcançados em relação à redução da pobreza e da desigualdade em todas as suas dimensões.

Por PNUD Brasil | 11/11/16 - 15:11 | [Leia Mais] |

Racismo e Saúde: um debate necessário e urgente

  Fonte: Racismo e Saúde: um debate necessário e urgente. Rio de Janeiro: Informe Ensp; 2016 Nov 11. [acesso em 11 nov 2016]. Disponível em: http://www.ensp.fiocruz.br/portal-ensp/informe/site/evento/detalhe/18018

Por Informe Ensp | 11/11/16 - 12:11 | [Leia Mais] |

blood-glucose-meter-1318261

Reflexões acerca das Redes de Atenção à Saúde ao paciente crônico: um enfoque no município de Recife

Entre as DCNT destacam-se a hipertensão (HAS) e o diabetes mellitus (DM) que representam importantes fatores de risco para complicações cardiovasculares, coronarianas, encefálicas, vasculares periféricas e renais

Por Nathália Paula de Souza (1); Maria Nelly Sobreira de Carvalho Barreto (2); Maria da Penha Rodrigues dos Santos (3); Annick Fontbonne (4); Eduarda Ângela Pessoa Cesse (5) | 07/11/16 - 20:11 | [Leia Mais] |

Governos defendem proteção social para reduzir desigualdades na América Latina

Em encontro na República Dominicana, países da CEPAL reconheceram a importância de proteger e avançar investimentos sociais para garantir sistemas universais de proteção. Organismo regional das Nações Unidas apresentou para […]

Por ONU Brasil | 04/11/16 - 17:11 | [Leia Mais] |

matriz

Indígenas, negros e mulheres são mais afetados por pobreza e desemprego no Brasil, diz CEPAL

Em relatório divulgado na terça-feira (1), a Comissão Econômica para a América Latina e Caribe (CEPAL) alerta que indígenas, negros e mulheres estão mais vulneráveis ao desemprego e à pobreza em países latino-americanos. No Brasil, índice de miséria entre os afrodescendentes chega à média de 22%, valor duas vezes maior que entre os brancos (10%). A pesquisa do organismo regional identifica o que chama de “eixos estruturantes” da desigualdade social, como gênero e aspectos étnico-raciais. Com base em dados de 2014 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a CEPAL calculou que a porcentagem de indígenas brasileiros vivendo em situação de pobreza extrema — 18% — é seis vezes maior do que a proporção verificada no restante da população do país. Entre os negros, a taxa é menor (6%), mas representa o dobro do índice de indigência entre os brancos. As disparidades atravessam outros níveis de renda. No Brasil, 49% dos indígenas e 33% dos afrodescendentes pertencem à quinta parte mais pobre da população.

Por ONU Brasil | 04/11/16 - 16:11 | [Leia Mais] |