Publicações do DSS-BR

icict

Pesquisadores identificam riscos para a saúde resultantes da seca no Semiárido

Pesquisadores da Fiocruz, junto a pesquisadores das universidades de Washington (EUA) e de Canberra (Austrália), lançaram um informe sobre vulnerabilidades, exposições, perigos e riscos para a saúde, resultante das secas para 1.135 municípios em nove estados do Semiárido Brasileiro (Alagoas, Bahia, Ceará, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe). O estudo mostra que os municípios do Semiárido têm condições menos favoráveis nas dimensões sociais, ambientais, econômicas e de saúde, quando comparados com os demais municípios do país. E ainda, dentro dos próprios estados, os municípios no Semiárido apresentam condições mais adversas que os municípios fora desta região, no mesmo estado. “O estudo toma dados básicos e utiliza os conceitos de risco de desastre em função das exposições, das vulnerabilidades e dos perigos que enfrentam as comunidades no Semiárido, para construção de um índice com a finalidade de apoiar a tomada de decisões”, comentou a pesquisadora Aderita Sena, autora principal do estudo.

Por Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (Icict/Fiocruz) | 28/07/17 - 14:07 | [Leia Mais] |

Série: Avanços e retrocessos na implementação da Agenda 2030 e ODS na América Latina e Caribe (3)

A iniciativa mais importante e abrangente sobre a Agenda e os ODS na ALC, até o momento, é o Fórum dos Países da América Latina e do Caribe sobre Desenvolvimento Sustentável, criado pelos Estados-membros da Comissão Económica das Nações Unidas para a América Latina e o Caribe (CEPAL), em sua sessão anual de 2016, realizada na Cidade do México. A proposta materializou-se na resolução 700 (XXXVI), que o cria como mecanismo regional para acompanhar e analisar a aplicação e o acompanhamento da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, os ODS, suas metas e meios de implementação, e da Agenda para Ação Adis Abeba sobre o Financiamento do Desenvolvimento. Posteriormente, o Conselho Econômico e Social das Nações Unidas (ECOSOC) aprovou a criação do Fórum através da sua Resolução 2016/12. O Fórum é liderado pelos Estados e aberto à participação de todos os países da América Latina e do Caribe. É convocado sob os auspícios da CEPAL e guiado pelos princípios estabelecidos para todos os processos de monitoramento e revisão da Agenda 2030. Envolve os Estados, o setor privado e a sociedade civil, bem como os órgãos subsidiários da CEPAL, bancos de desenvolvimento, outras agências das Nações Unidas e blocos de integração regional.

Por Prof. Paulo M. Buss | 25/07/17 - 15:07 | [Leia Mais] |

leish

Informe Epidemiológico das Américas. Leishmanioses

Nas Américas, as leishmanioses seguem sendo um problema de saúde pública devido a sua magnitude e complexidade clínica, biológica e epidemiológica. Afeta predominantemente os mais pobres, sobretudo em países em desenvolvimento, fato requer um esforço coletivo e um compromisso compartido entre os governos, as organizações, instituições e a sociedade para seu controle. Em 2016, os Estados Membros da Organização Pan-Americana da Saúde – OPS/OMS aprovaram mediante a Resolução CD55. R09 do Conselho Diretivo o Plano de ação para eliminação das doenças negligenciadas e medidas posteriores a eliminação 2016-2022. Neste Plano de ação, foram definidos objetivos específicos para o fortalecimento da vigilância e controle das leishmanioses nas Américas. Com este propósito, foi elaborado o Plano de Ação de Leishmanioses das Américas 2017-2022, detalhando as metas, indicadores e linhas de ações para reduzir a morbidade e mortalidade por leishmanioses na Região.

Por Organização Pan-Americana da Saúde | 13/07/17 - 14:07 | [Leia Mais] |

obje

Série: Agenda 2030 e ODS: Documentos úteis para alimentar o debate entre acadêmicos e políticos (2)

Documentos importantes, preparados por comissões independentes de alto nível sobre o processo de desenvolvimento na esfera global, que devem ser conhecidos pelos interessados no processo, pela qualidade de seus dados e pela pertinência de suas conclusões e recomendações são:
1) o Informe da Comissão Universidade de Oslo – The Lancet (2014);
2) o Informe da Comissão The University College London – The Lancet (2012);
Outros dois documentos sobre questões ambientais que trazem informações abundantes e posições polêmicas são:
1) o Informe da Comissão The Fundação Rockefeller – Lancet (2016);
2) o Informe sobre Saúde e Mudanças Climáticas (2015);
Mais dois documentos úteis, sempre que utilizados de forma crítica, foram publicados recentemente pelo Banco Mundial:
1) o Relatório sobre o Desenvolvimento Mundial 2017: Governança e o Direito;
2) o Atlas sobre os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável 2017.

Por Prof. Paulo M. Buss | 12/07/17 - 17:07 | [Leia Mais] |

objetivos

Série: ONU realiza grande evento anual de 2017 sobre a Agenda 2030 e os ODS (1)

Vinte meses transcorridos da aprovação da mencionada Resolução e já no seu segundo ano de vigência, a ONU realiza entre na semana que vem, entre 10 e 20 de julho de 2017, em sua sede, em Nova York, no âmbito da reunião anual do Conselho Econômico e Social das Nações Unidas (ECOSOC), a reunião do Fórum Político de Alto Nível sobre a Agenda 2030 e os ODS (HLPF, em seu acrônimo em inglês), estrutura criada na Rio+20 para orientar o processo de implementação a nível global.
O tema do evento, em 2017, será “erradicar a pobreza e promover a prosperidade num mundo em mudança”. O conjunto de metas a ser analisado em profundidade nesta reunião incluirá, além do Objetivo 17 – cuja evolução será examinada todos os anos – também as metas dos objetivos 1 (pobreza), 2 (fome, segurança alimentar, nutrição e agricultura sustentável), 3 (vida saudável e bem-estar), 5 (gênero), 9 (infraestrutura, industrialização e inovação) e 14 (oceanos, mares e recursos marinhos).

Por Prof. Paulo M. Buss | 03/07/17 - 16:07 | [Leia Mais] |

panorama

Seminário apontou desigualdades sociais da América Latina

O Panorama documentou uma matriz de desigualdades que envolveram nível socioeconômico, gênero e etnia, por exemplo. As conclusões evidenciaram fatos como a exclusão de negros e mulheres do mercado de trabalho, a marginalização da população que não completa o ensino médio e a desmitificação de sensos comuns, como o de que pobres não possuem ascensão social porque não trabalham. Dados apresentados por Abramo mostram que o serviço das classes de baixa renda não permite o mesmo crescimento econômico que o trabalho de outras classes sociais, elucidando as diferenças entre cada oportunidade trabalhista. Entre as questões de gênero, o relatório alerta: “Grande parte do que se produz e do que sustenta a vida das pessoas não é considerada nem contabilizada na economia tradicional. O uso do tempo e a distribuição do trabalho não remunerado nos domicílios são elementos essenciais para analisar a desigualdade de gênero”.

Por Ipea – Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada | 28/06/17 - 16:06 | [Leia Mais] |

Inscrições abertas para curso de Atualização em Determinação Social, Ambiental e Política da Saúde

O Departamento de Direitos Humanos, Saúde e Diversidade Cultural da Escola Nacional de Saúde Pública (Dihs/ENSP) está com inscrições abertas para o Curso de Atualização em Determinação Social, Ambiental e Política da Saúde. Os interessados devem enviar e-mail para dihs@ensp.fiocruz.br, informando nome completo e endereço de e-mail. Ao todo 50 vagas estão disponíveis. As aulas serão realizadas nos dias 5, 12, 19 e 26 de julho, das 13h às 17 horas. Ao final do curso os participantes terão direito ao certificado. O curso será ministrado pelo doutor em Saúde Publica pela ENSP, Gabriel Schutz, pesquisador do Instituto de Saúde Coltiva da UFRJ. E importante lembrar que é obrigatória 75% de presença para ter direito ao certificado. Mais informações pelos telefones 3882-9222 ou 9223.
O curso acontecerá no prédio da Expansão da Fiocruz. Localizado na Av. Brasil nº 4.036, sala 901.

Por Departamento de Direitos Humanos, Saúde e Diversidade Cultural (Dihs/ENSP) | 28/06/17 - 13:06 | [Leia Mais] |