Publicações do DSS-BR

pnud

América Latina se compromete a fortalecer os sistemas de proteção social com foco no progresso multidimensional

Após dois dias de troca de experiências em políticas públicas relacionadas aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), à erradicação da pobreza e à redução das desigualdades, representantes da América Latina e do Caribe, reunidos no VIII Fórum Ministerial para o Desenvolvimento, assinaram a “Declaração de Santo Domingo”, um compromisso para buscar os meios mais eficientes e sustentáveis de promover o avanço da Agenda 2030 de forma integrada e de acordo com as prioridades de cada país. Os ministros, vice-ministros e altos funcionários de governos da região destacaram a necessidade de encontrar medidas para o bem-estar e o progresso multidimensional, as quais complementem as formas tradicionais de mensurar a pobreza para além da renda, com foco no fortalecimento e ampliação dos sistemas de proteção social que reduzem as desigualdades e a exclusão. Em um momento de fragilidade econômica global e dificuldades na região, o desafio é a sustentabilidade dos avanços alcançados em relação à redução da pobreza e da desigualdade em todas as suas dimensões.

Por PNUD Brasil | 11/11/16 - 15:11 | [Leia Mais] |

Racismo e Saúde: um debate necessário e urgente

  Fonte: Racismo e Saúde: um debate necessário e urgente. Rio de Janeiro: Informe Ensp; 2016 Nov 11. [acesso em 11 nov 2016]. Disponível em: http://www.ensp.fiocruz.br/portal-ensp/informe/site/evento/detalhe/18018

Por Informe Ensp | 11/11/16 - 12:11 | [Leia Mais] |

blood-glucose-meter-1318261

Reflexões acerca das Redes de Atenção à Saúde ao paciente crônico: um enfoque no município de Recife

Entre as DCNT destacam-se a hipertensão (HAS) e o diabetes mellitus (DM) que representam importantes fatores de risco para complicações cardiovasculares, coronarianas, encefálicas, vasculares periféricas e renais

Por Nathália Paula de Souza (1); Maria Nelly Sobreira de Carvalho Barreto (2); Maria da Penha Rodrigues dos Santos (3); Annick Fontbonne (4); Eduarda Ângela Pessoa Cesse (5) | 07/11/16 - 20:11 | [Leia Mais] |

Governos defendem proteção social para reduzir desigualdades na América Latina

Em encontro na República Dominicana, países da CEPAL reconheceram a importância de proteger e avançar investimentos sociais para garantir sistemas universais de proteção. Organismo regional das Nações Unidas apresentou para […]

Por ONU Brasil | 04/11/16 - 17:11 | [Leia Mais] |

matriz

Indígenas, negros e mulheres são mais afetados por pobreza e desemprego no Brasil, diz CEPAL

Em relatório divulgado na terça-feira (1), a Comissão Econômica para a América Latina e Caribe (CEPAL) alerta que indígenas, negros e mulheres estão mais vulneráveis ao desemprego e à pobreza em países latino-americanos. No Brasil, índice de miséria entre os afrodescendentes chega à média de 22%, valor duas vezes maior que entre os brancos (10%). A pesquisa do organismo regional identifica o que chama de “eixos estruturantes” da desigualdade social, como gênero e aspectos étnico-raciais. Com base em dados de 2014 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a CEPAL calculou que a porcentagem de indígenas brasileiros vivendo em situação de pobreza extrema — 18% — é seis vezes maior do que a proporção verificada no restante da população do país. Entre os negros, a taxa é menor (6%), mas representa o dobro do índice de indigência entre os brancos. As disparidades atravessam outros níveis de renda. No Brasil, 49% dos indígenas e 33% dos afrodescendentes pertencem à quinta parte mais pobre da população.

Por ONU Brasil | 04/11/16 - 16:11 | [Leia Mais] |

Seminário discute álcool como problema de saúde pública

Reunindo especialistas nacionais e internacionais sobre o tema, gestores públicos e representantes de organizações internacionais, o Seminário Internacional Álcool, Saúde e Sociedade, sediado na Escola Nacional de Saúde Pública e no Museu da Vida da Fiocruz, aborda de modo científico e totalmente baseado em evidências aspectos epidemiológicos, históricos e culturais do consumo de álcool, assim como as políticas públicas para combater o abuso da bebida no Brasil e na América Latina. Entre os presentes à mesa estiveram Valcler Rangel, vice-presidente de Ambiente, Atenção e Promoção da Saúde da Fundação, Keila Kikushi, coordenadora interina de Saúde Mental, Álcool e Outras Drogas do Ministério da Saúde, Victoria González, coordenadora da Junta Nacional de Drogas do Uruguai, Maristela Monteiro, assessora sênior para álcool da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas/OMS), Paulo Gadelha, presidente da Fiocruz e por conferência o pesquisador Thomas Babor, professor da Universidade de Connecticut.

Por André Costa - Agência Fiocruz de Notícias | 26/10/16 - 17:10 | [Leia Mais] |

sem-titulo

Atlas do Desenvolvimento Humano nas Regiões Metropolitanas fornece indicadores para focalização de políticas públicas

No Brasil, há cerca de 70 regiões metropolitanas, nas cinco regiões do país. Os dados divulgados no último Censo do IBGE, em 2010, revelaram o forte crescimento dessas áreas e também uma ampla demanda por serviços públicos e políticas sociais. Somente as regiões metropolitanas de São Paulo, Recife, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Porto Alegre, por exemplo, concentram mais de 44 milhões de habitantes, quase um quarto da população do país. Para traçar um panorama de 20 dessas regiões, com base em dados e indicadores, o Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (Ipea) e a Fundação João Pinheiro, em parceria com o PNUD, desenvolveram uma plataforma de análise de dados para colaborar na melhoria de políticas públicas. Com isso, dados como a longevidade, educação e renda da população são disponibilizados no Atlas do Desenvolvimento Humano das Regiões Metropolitanas Brasileiras.

Por PNUD Brasil | 20/10/16 - 17:10 | [Leia Mais] |