Publicações do DSS-BR

obesidade_interna_site

Há mais obesos no mundo do que magros, diz estudo. E agora?

Nos últimos 40 anos, houve um aumento surpreendente no número de obesos no mundo. De 105 milhões em 1975, para 641 milhões em 2014. Os dados são do maior estudo global já feito sobre o Índice de Massa Corporal (IMC), o principal parâmetro usado para medir a obesidade.
A cada década, segundo o estudo, a população mundial se tornou 1,5 kg mais pesada. Se a taxa de obesidade continuar nesse ritmo, em 2025, cerca de um quinto dos homens (18%) e mulheres (21%) em todo o mundo serão obesos e mais mais de 6% dos homens e 9% das mulheres serão severamente obesos. “O número de pessoas no mundo cujo peso representa uma ameaça séria para a saúde nunca foi tão alto”, disse Majid Ezzati, professor da escola de saúde pública do Imperial College of London, na Inglaterra, e principal autor do trabalho.

Por Mônica Tarantino e Monique Oliveira / Brasileiros | 01/04/16 - 17:04 | [Leia Mais] |

Clipping de março (2016)

Quatro problemas estruturais brasileiros que a epidemia de zika revela Cor da pele interfere até na ação policial, dizem pesquisadores Nova caderneta da gestante orienta sobre prevenção contra Aedes aegypti […]

Por Equipe Editorial do Portal DSS Brasil | 01/04/16 - 15:04 | [Leia Mais] |

Pobres gastam mais dinheiro comprando produtos derivados do tabaco e morrem mais em decorrência de doenças à ele relacionadas.

Fiocruz lança plataforma digital para analisar as estratégias da indústria do tabaco

Pesquisadores do Centro de Estudos sobre Tabaco e Saúde (Cetab/ENSP) e de outras instituições e profissionais da área estiveram reunidos, por dois dias, para o lançamento do Observatório sobre as Estratégias da Indústria do Tabaco e Workshop sobre o artigo 5.3 da Convenção Quadro para o Controle do Tabaco da Organização Mundial da Saúde (CQCT/OMS). Na ocasião, foi lançada a primeira plataforma digital, criada por uma instituição pública da área de saúde que objetiva demonstrar a interferência da indústria do fumo nas políticas públicas de controle do tabaco. A ferramenta, que permitirá colaborações externas, armazenará documentos que demonstram a influência da indústria nos processos políticos e legislativos, promovendo parcerias com lobistas para obter decisões que contemplem seus interesses.

Por Tatiane Vargas - Informe ENSP | 31/03/16 - 15:03 | [Leia Mais] |

corpo-no-chão-destaque

Taxa de homicídios no Brasil atingiu recorde em 2014

A quantidade de homicídios registrados no Brasil em 2014, coloca o país no topo do ranking em números absolutos de mortes dessa natureza. Foram 59.627 mortes e o dado foi apresentado na última terça-feira, dia 22, no Rio de Janeiro, pelo Ipea. Para o presidente do Instituto, Jessé Souza, “o registro oficial de aproximadamente 60 mil homicídios apenas em 2014 coloca como desafio a elaboração e implementação de medidas para enfrentar essa realidade”. No entanto, o primeiro passo é elaborar um diagnóstico adequado a partir das informações disponíveis. Os números foram analisados pelo técnico de Planejamento e Pesquisa do Ipea Daniel Cerqueira, durante o lançamento da Nota Técnica Atlas da Violência.

Por Ipea – Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada | 29/03/16 - 16:03 | [Leia Mais] |

OMS quer acabar com a epidemia da tuberculose até 2035

Para marcar o Dia Mundial de Combate à Tuberculose, agência da ONU pediu novos compromissos e novas ações da comunidade internacional na luta contra a doença; em 2013, 9 milhões […]

Por Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York | 29/03/16 - 15:03 | [Leia Mais] |

corpo-no-chão-destaque

Taxa de homicídios diminui nas grandes cidades e aumenta no interior, diz Ipea

A taxa de homicídios no Brasil tem diminuído nas grandes cidades e aumentado no interior, sobretudo no Nordeste. Os dados fazem parte do Atlas da Violência 2016, divulgado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP).
O estudo analisou a evolução dos homicídios por macrorregiões, unidades da federação e microrregiões, provocadas por armas de fogo, violência policial, assim como homicídios de afrodescendentes, de mulheres e jovens. Os números estão no Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM), do Ministério da Saúde, e se referem a 2014.
Das 20 microrregiões mais violentas, 16 estão no Nordeste, que também possui sete entre as 20 mais pacíficas. Dentre as 20 microrregiões que apresentaram maior crescimento nas taxas de homicídios, 14 estão no Nordeste.

Por Flávia Villela - Agência Brasil | 23/03/16 - 16:03 | [Leia Mais] |

RAONI-MADDALENA

As cidades, o mosquito e as reformas

Tão urgente quanto a reforma política e tributária, o debate sobre a reforma urbana subiu ao topo da agenda em meio à séria crise de saúde pública causada pela infestação do mosquito Aedes aegypti, transmissor do zika e do chikungunya, além dos vírus causadores da dengue e da febre amarela. Um olhar para além da saúde pública se faz necessário para entender o que nos faz conviver com esse mosquito há décadas. Para tratar da complexidade do tema, a pesquisa Região e Redes ouviu a professora livre docente da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (USP), Ermínia Maricato. Além de estudiosa do tema, Maricato formulou a proposta de criação do Estatuto das Cidades e do Ministério das Cidades.

Entrevista com Ermínia Maricato por Região e Redes | 21/03/16 - 15:03 | [Leia Mais] |