Posts marcados como " Desigualdade Social "

Sem título

Revista Trabalho, Educação e Saúde: desigualdade social em pauta

A nova edição da revista Trabalho, Educação e Saúde, revista científica editada pela Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, da Fiocruz, traz artigos sobre a desigualdade social brasileira, a estratégia saúde da família e a formação de profissionais do setor saúde. A publicação tem periodicidade quadrimestral, com debates, análises e investigações, de caráter teórico ou aplicado, sobre temas relacionados à educação no campo da saúde. O público-alvo de Trabalho, Educação e Saúde é formado por pesquisadores, alunos de graduação e pós-graduação, profissionais vinculados aos serviços de saúde, e docentes e gestores do campo da educação profissional em saúde.

Por Portal Fiocruz | 13/11/17 - 14:11 | [Leia Mais] |

tuber

Relatório da OMS indica necessidade urgente de maior compromisso político para acabar com a tuberculose

Os esforços globais para combater a tuberculose pouparam cerca de 53 milhões de vidas desde 2000 e reduziram a taxa de mortalidade pela doença em 37%, de acordo com o Global TB Report 2017, divulgado nesta segunda-feira (30) pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Apesar dessas conquistas, o último cenário é sombrio. A tuberculose continuou a ser a principal assassina infecciosa em 2016. Também é a principal causa de mortes relacionadas à resistência antimicrobiana e entre pessoas com HIV. O progresso na maioria dos países está paralisado e não é rápido o suficiente para atingir as metas globais ou preencher as lacunas persistentes nos cuidados e prevenção da doença.

Por OPAS/OMS Brasil | 31/10/17 - 13:10 | [Leia Mais] |

di

Inscrições abertas para curso de atualização em Justiça Ambiental, ocupação do espaço, determinantes sociais e saúde

O Departamento de Direitos Humanos, Saúde e Diversidade Cultural (Dihs/ENSP) está com inscrições abertas para o Curso de Atualização Justiça Ambiental, ocupação do espaço, determinantes sociais e saúde. O objetivo do curso é propiciar ao aluno conhecimentos na área ambiental vinculando-o ao direito à saúde, além de disponibilizar conhecimentos sobre a legislação ambiental e sua interface com a legislação sanitária e fornecer noções básicas sobre Educação Ambiental, evidenciando sua importância, princípios, objetivos e estratégias para a execução das ações do agente de saúde pública. Os interessados devem se inscrever através do e-mail dihs@ensp.fiocruz.br, no horário das 8 às 17 horas. Ao todo 50 vagas estão disponíveis, o curso é gratuito e com direito a certificado de conclusão, que será obtido pelo estudante mediante 75% de presença no curso.

Por Informe Ensp | 25/10/17 - 14:10 | [Leia Mais] |

ag

Agenda 2030: desafios da água, do saneamento e do direito à cidade

Até 2030, o planeta Terra enfrentará um déficit de 40% no abastecimento de água. A previsão da Organização das Nações Unidas (ONU) alerta para a dimensão dos desafios a serem enfrentados pelos 193 países signatários da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, que propõe como uma de suas metas o acesso universal e equitativo a água potável e segura para todos. O Brasil não escapa desta realidade e, de acordo com pesquisa da Confederação Nacional das Indústrias (CNI), só universalizará o acesso à água potável em 2043 – o que coloca o país bem longe do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável nº 6 (ODS 6): “assegurar a disponibilidade e gestão sustentável da água e saneamento para todas e todos”.

Por Natanael Damasceno | 24/10/17 - 13:10 | [Leia Mais] |

corpo-no-chão-destaque

IHA 2014 aponta tendência de aumento dos homicídios entre adolescentes brasileiros

Os assassinatos de adolescentes seguem crescendo no Brasil, sobretudo, nos Estados do Nordeste, atingindo, majoritariamente, meninos negros. Essas são as principais conclusões do Índice de Homicídios na Adolescência 2014 (IHA), resultado de uma parceria entre o UNICEF, o Ministério dos Direitos Humanos (MDH), o Observatório de Favelas e o Laboratório de Análise da Violência, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (LAV-Uerj). A pesquisa analisa os homicídios de adolescentes de 12 a 18 anos nos 300 municípios brasileiros com mais de 100 mil habitantes. O IHA é calculado para cada grupo de mil pessoas entre 12 e 18 anos. A partir da análise das informações de 2014, para cada mil adolescentes, 3,65 correm o risco de ser assassinados antes de completar o 19º aniversário. Se as condições que prevaleciam em 2014 não mudarem, entre 2015 e 2021, um total de 43 mil adolescentes poderá ser morto nesses 300 municípios analisados.

Por UNICEF Brasil | 11/10/17 - 13:10 | [Leia Mais] |

imagem 1

Em Manaus, Seminário Internacional aborda Desenvolvimento, Governança Territorial e Saúde

Entre os dias 2 e 5 de outubro, Manaus sedia o Seminário Internacional Desenvolvimento, Governança Territorial e Saúde, e o Encontro Regional de Determinantes Sociais da Saúde nos estados da Região Norte. O evento que reúne convidados da sociedade civil, governos e especialistas nacionais e internacionais, acontece no Hotel Intercity Manaus, à rua Prof. Márciano Armond, 544 – Adrianópolis. Participam da organização das atividades, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), por meio do Centro de Estudos, Políticas e Informação sobre Determinantes Sociais da Saúde da Escola Nacional de Saúde Pública (Cepi-DSS/Ensp) e do Instituto Leônidas e Maria Deane (ILMD/ Fiocruz Amazônia), o Ministério da Saúde, a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS-BRA), a Organização do Tratado de Cooperação Amazônica (OTCA) e outros parceiros.

Por Eduardo Gomes | 03/10/17 - 20:10 | [Leia Mais] |

mau

Maurício Barreto: ‘decisões políticas podem melhorar ou agravar as condições de saúde da população’

O pesquisador do Centro de Integração de Dados e Conhecimentos para a Saúde da Fiocruz Bahia (Cidacs), Maurício Barreto, conversou com o blog do CEE-Fiocruz no segundo dia do seminário Saúde, Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, promovido pela rede Brasil Saúde Amanhã, em 12/9/2017. Maurício destacou a importância de se avaliar como mudanças nas políticas que estiveram em vigor nos últimos anos, nos âmbitos econômico e social, podem afetar as condições de saúde da população. Ele apontou iniciativas como o fortalecimento de políticas de proteção social, os avanços econômicos, com aumento do salário mínimo, e as políticas de saúde, em especial, o foco na atenção básica, como fatores positivos nesse processo. “As condições de saúde se modificam no tempo, para melhor ou para pior”.

Por Centro de Estudos Estratégicos Fiocruz | 27/09/17 - 16:09 | [Leia Mais] |