Posts marcados como " Determinantes Sociais da Saúde "

Número de ciclistas acidentados no trânsito ultrapassa 10% do total de atendidos em emergência no país

São aproximadamente 48 milhões de bicicletas, ficando o Brasil atrás apenas de China, Índia, Estados Unidos da América, Japão e Alemanha. As bicicletas dividem com o modo pedestre a maioria dos deslocamentos normais de 90% do total de municípios brasileiros. Apesar dessa realidade, a infraestrutura necessária para o uso das bicicletas no país não está disponível em todos os locais. Poucos estudos, porém, abordam a temática envolvendo os acidentes com ciclistas, bem como os fatores que colaboram ou evitam essa ocorrência. Menos ainda se sabe sobre acidentes de trânsito envolvendo ciclistas, apesar de serem frequentes em vários países, causando mortes e incapacidades, principalmente em crianças e adultos jovens. Sobre o tema, os pesquisadores da ENSP Carlos Augusto Moreira de Sousa e Patrícia Constantino; e Camila Alves Bahia, da Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro, produziram o artigo Análise dos fatores associados aos acidentes de trânsito envolvendo ciclistas atendidos nas capitais brasileiras.

Por Informe Ensp | 12/01/17 - 18:01 | [Leia Mais] |

objetivos

O monitoramento dos ODS no Rio e a Agenda 2030: jornada rumo às Cidades Sustentáveis

Tão importante quanto reconhecer e defender a manutenção desses avanços no país, é ter clareza do muito que ainda temos por avançar. E os ODS podem ser uma ótima oportunidade para motivar e impulsionar uma agenda global em direção ao desenvolvimento sustentável, à transição para uma economia de baixo carbono, à preparação para as mudanças climáticas, à promoção da igualdade de gênero, à superação da pobreza e da miséria, à proteção da biodiversidade, entre outros objetivos apontados na carta global. O planeta já vem dando sinais de que não suporta o atual modelo de desenvolvimento e que a humanidade precisa mudar de comportamento. O século XXI deve ser o século da sustentabilidade e precisamos dar passos rápidos nessa direção. Nesse contexto, o Brasil pode assumir protagonismo, assim como fez com os ODM nos últimos 15 anos. Dentre os 17 ODS, queremos nesse artigo destacar o de número 11: “Tornar as cidades e os assentamentos humanos inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis”.

Por Henrique Silveira, Vitor Mihessen e Igor Pantoja | 03/01/17 - 16:01 | [Leia Mais] |

9

Fiocruz sedia evento internacional sobre a Agenda 2030

Adotada há pouco mais de um ano por mais de 200 países, a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável é um documento cuja implementação pode assumir diferentes configurações, estando sujeita a uma variedade muito grande de interesses e de determinantes. Os primeiros anos da Agenda são fundamentais para que seu propósito geral de um desenvolvimento equitativo, inclusivo e democrático seja alcançado, e a Fiocruz, assim como outros órgãos de pesquisa, tem papel fundamental para o cumprimento desta missão, tanto no âmbito nacional, quanto regional, quanto internacional. Foram essas algumas das considerações do evento que a Fundação, em conjunto com o Programa de Saúde Global do Instituto de Pós-Graduação para Estudos Internacionais e do Desenvolvimento de Genebra e com o Centro de Pesquisas para o Desenvolvimento Internacional (CRDI), promoveu nos dias 7 e 8 de novembro, o Segundo Encontro de Think Tanks e Instituições Acadêmicas de Políticas de Saúde Global.

Por André Costa (CCS) | 22/12/16 - 13:12 | [Leia Mais] |

heal

Principais resultados: “A Panorama of Health Inequalities in Brazil”

O Suplemento “A Panorama of Health Inequalities in Brazil” é uma edição especial do International Journal for Equity in Health. É um abrangente panorama das desigualdades em saúde no Brasil, que traz 14 artigos inéditos, avaliados e publicados por um dos periódicos internacionais mais importantes nessa área. O suplemento foi editado por James Macinko, professor dos departamentos de Ciências da Saúde Comunitária e Gestão e Políticas de Saúde da Universidade da Califórnia em Los Angelas (UCLA), e Célia Landmann Szwarcwald, pesquisadora titular do Icict/Fiocruz, e também uma das responsáveis pela coordenação técnica do estudo da PNS 2013. A edição traz ainda comentários do Professor Michael Marmot, da University College London, que tem liderado a pesquisa sobre as desigualdades em saúde no mundo há 40 anos, e do Professor Cesar Victora, da Universidade Federal de Pelotas, epidemiologista brasileiro, que tem vários estudos nessa área de pesquisa.

Por Raíza Tourinho e André Bezerra | 09/12/16 - 18:12 | [Leia Mais] |

Fiocruz inaugura Centro de Integração de Dados e Conhecimentos para Saúde

Durante os dias cinco, seis e sete de dezembro, autoridades, executivos e especialistas de instituições nacionais e internacionais estarão reunidos, no Parque Tecnológico da Bahia, em Salvador, para o seminário e a […]

Por Instituto Gonçalo Moniz/Fiocruz Bahia | 08/12/16 - 16:12 | [Leia Mais] | 1 Comentário »

6

Álcool: números preocupam profissionais de saúde pública

A Fiocruz sediou, em outubro, o Seminário Internacional Álcool, Saúde e Sociedade, uma parceria com a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas)/Organização Mundial da Saúde (OMS), que reuniu especialistas nacionais e estrangeiros com o objetivo de debater os aspectos epidemiológicos, históricos e culturais do consumo de álcool, assim como as políticas públicas no Brasil e na América Latina. A preocupação não é à toa. Segundo dados da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), uma parceria entre o IBGE e a Fiocruz para o Ministério da Saúde, realizada em 2013, que teve a coordenação científica de Célia Landmann Swarcwald, pesquisadora do Laboratório de Informação em Saúde (Lis)/Icict, cerca de 24% da população com 18 anos ou mais consome bebida alcóolica uma vez ou mais por semana. Entre homens, a frequência é quase três vezes maior (36,3%) do que entre as mulheres (13%), variando de 18,8% na região Norte a 28,4% na região Sul.

Por Graça Portela - Icict/Fiocruz | 07/12/16 - 16:12 | [Leia Mais] |

opas

Líderes globais concordam em promover saúde para alcançar Objetivos do Desenvolvimento Sustentável

Líderes governamentais e organizações das Nações Unidas, governantes de cidades e especialistas em saúde de todo o mundo fizeram dois compromissos marcantes para promover a saúde pública e erradicar a pobreza. A 9ª Conferência global sobre promoção de saúde, coorganizada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e a Comissão Nacional de Saúde e Planejamento Familiar da República Popular da China em Xangai entre 21 e 24 de novembro, acordou: a Declaração de Xangai sobre Promoção da Saúde, que se compromete a fazer escolhas políticas audaciosas para saúde, enfatizando as ligações entre saúde, bem-estar e a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas e seus Objetivos do Desenvolvimento Sustentável; o Consenso dos Prefeitos de Cidades Saudáveis de Xangai, que contém um compromisso de mais de 100 prefeitos para avançar em relação à saúde por meio de uma melhor gestão dos ambientes urbanos.

Por OPAS/OMS Brasil | 02/12/16 - 14:12 | [Leia Mais] |