Categoria: Observatório – Análises

0
Rate this post

Pesquisadores da ENSP/Fiocruz analisam a utilização dos serviços de saúde segundo o sistema de financiamento seja pelo Sistema Único de Saúde (SUS), seja pelos planos e seguros privados de saúde, ou ainda pela compra de serviços com pagamento direto durante o período 1998-2008. Os autores identificam importantes desigualdades na utilização dos serviços tanto nos atendimentos quanto nas internações. No decênio 1998-2008 observa-se um contínuo aumento da taxa de utilização do SUS.

Por Gabriela Ruiz | 06/05/12 – 15:05 | [Leia Mais] | 1 Comentário »

A saúde e a nutrição das crianças brasileiras vêm numa crescente melhora desde os anos 80. Mas, pouco se sabe sobre o comportamento das desigualdades socioeconômicas, em nível individual, nos óbitos infantis. No país, a taxa de mortalidade infantil apresenta tendência decrescente: em 1980 era 78,5 óbitos por mil nascidos vivos e, em 2008, era estimada em 19,1 óbitos por mil nascidos vivos. Mas o Brasil ainda apresenta coeficientes altos em relação a outros países.

Por Gabriela Lamarca e Mario Vettore | 12/04/12 – 20:04 | [Leia Mais] | Comentários desativados

Utilizando os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicilio (PNAD), pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP), analisaram a evolução do perfil das pessoas que utilizaram os serviços de saúde entre 2003 e 2008 no Brasil. De acordo com as características socioeconômicas dos usuários, o tipo de atendimento e de serviço, e os motivos da procura. O SUS é o principal financiador dos serviços utilizados pela população brasileira nos atendimentos e principalmente nas internações.

Por Gabriela Ruiz | 09/04/12 – 22:04 | [Leia Mais] | Comentários desativados

Segundo a OMS, o tabagismo é a principal causa evitável de óbitos nas Américas, onde se estima morrem cerca de 625.000 pessoas por ano devido ao hábito de fumar. Utilizando o suplemento PNAD 2008, Aluísio Barros e colaboradores descreveram a prevalência do tabagismo diário segundo sexo, idade, renda domiciliar e ocupação de moradores de 15 anos ou mais, no Brasil e regiões. Estudos como esse contribuem para a formulação de políticas públicas para a redução das desigualdades.

Por Gabriela Lamarca e Mario Vettore | 02/04/12 – 22:04 | [Leia Mais] | Comentários desativados

A Coordenadora Geral de Alimentação e Nutrição do MS fala sobre os avanços expressivos alcançados pelo Brasil na redução da desnutrição infantil nas últimas décadas. Houve queda de três vezes no déficit de peso para idade e de duas vezes no déficit de altura para idade em crianças menores de cinco anos entre 1996 a 2006. Destaca que a proposta do Observatório é coerente com a Política Nacional de Alimentação e Nutrição (PNAN), com base na determinação social da saúde.

Entrevista com Patrícia Jaime | 26/03/12 – 13:03 | [Leia Mais] |