Alcoolismo

0
Rate this post

Modelo convencional de educação em saúde, que enfatiza questões como estilo de vida e mudança de comportamento, tem sido gradativamente substituído pelos que enfatizam os determinantes sociais, ambientais e políticos da saúde. Pesquisas mostram que na associação de alguns fatores ambientais e individuais e a saúde bucal, o senso de coerência se revelou como o único preditor consistente de qualidade de vida relacionada à saúde bucal, prevendo menos sintomas impactos sobre a vida cotidiana em crianças.

Por Gabriela Lamarca e Mario Vettore | 25/04/13 – 10:04 | [Leia Mais] |

O IBGE divulgou ontem um mapa com síntese de dados do Censo 2010 sobre população indígena. O documento foi lançado no Memorial dos Povos Indígenas, em Brasília. O material será distribuído em instituições públicas de ensino e naquelas que trabalham com a população indígena.

Por Equipe Editorial do Portal DSS Brasil, com informações da Agência Brasil | 19/04/13 – 15:04 | [Leia Mais] |

O programa Saúde nas Escolas, desenvolvido desde junho de 2011, em uma parceria entre Governo Federal, Secretarias Municipais de Educação e de Saúde do Rio de Janeiro, leva equipes multidisciplinares de Saúde da Família integradas por médicos, enfermeiros, cirurgiões dentistas, técnicos, psicólogos e pessoal de apoio administrativo às unidades escolares. O objetivo é identificar e tratar problemas de saúde dos alunos através do atendimento realizado na própria escola.

Por Jaqueline Pimentel | 18/04/13 – 10:04 | [Leia Mais] |

O 2º Levantamento Nacional de Álcool e Drogas (Lenad), realizado pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), mostra uma realidade alarmante com relação à dependência de álcool. De acordo com o estudo 11,7 milhões de pessoas no Brasil são dependentes de álcool e 54% das bebidas alcoólicas comercializadas no país, são consumidas por uma parcela de 20% das pessoas que bebem.

Por Equipe Editorial do Portal DSS Brasil | 12/04/13 – 11:04 | [Leia Mais] |

Citada por alguns pesquisadores como situação na qual indivíduos com maiores necessidades de se beneficiar com intervenções preventivas em nível coletivo são os menos propensos a recebê-las, lei da prevenção inversa é análoga a lei do cuidado inverso, quando disponibilidade aos serviços de saúde é menor para indivíduos com mais necessidade. Será que mesmo onde as intervenções em saúde pública são consideradas “bem sucedidas” é possível que aumentem as iniquidades em saúde?

Por Gabriela Lamarca e Mario Vettore | 11/04/13 – 11:04 | [Leia Mais] |

Em matéria publicada hoje (09-04-2013) no jornal Valor Econômico, Roberto Smeraldi, que dirige a organização Amigos da Terra, voltada para a defesa do meio ambiente, fala sobre a difícil tarefa de aplicar regras de Vigilância Sanitária exigidas pela legislação brasileira para grande parte dos 1,5 mil frigoríficos espalhados pelo país.

Por Equipe Editorial do portal DSS Brasil | 09/04/13 – 10:04 | [Leia Mais] |