Destaques

Projeto foca Itaboraí como objeto de estudo sobre vulnerabilidade social e DSS/ Imagem: Google

Projeto desenvolve metodologia de monitoramento de situação de saúde em Itaboraí

Por Jaqueline Pimentel

30/10/14 | 16:10

Um projeto do pesquisador Pedro Alves Filho realizado na Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca através do Centro de Estudos Políticas e Informação sobre Determinantes Sociais da Saúde, sob a coordenação da pesquisadora Patrícia Tavares Ribeiro, está desenvolvendo uma metodologia inovadora. Esta é focada no estudo da vulnerabilidade social e seus reflexos sobre a saúde da população dos municípios localizados no entorno do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj). O trabalho consiste em um estudo de campo e na análise dos quadros de vulnerabilidade social baseada em dados de órgãos oficiais, como no caso do IBGE, que informam renda, escolaridade e local de moradia e permitem a geração de uma base de informações sobre condições sociais e agravos em saúde.

[Leia Mais] |

Projetos socioeducativos na Inglaterra para redução de desigualdades sociais

Por Gabriela Lamarca e Mario Vettore - correspondentes do portal DSS Brasil na Inglaterra

23/10/14 | 02:10

Indivíduos com pouca escolaridade e carentes de competências e habilidades específicas para o trabalho estão à margem da sociedade e têm oportunidades de vida reduzidas. São aqueles que se encontram na base do gradiente social e, portanto, são os mais vulneráveis. A falta de políticas socioeducativas, baseadas nos princípios da igualdade de oportunidades educacionais e de inclusão social, não tem prevenido a ocorrência de desigualdades na vida adulta, aumentando a distância entre os extremos do gradiente social. Dar a cada criança e sua família o melhor começo possível na vida, inclusive (e principalmente) em termos educacionais, é fundamental para reduzir as desigualdades em saúde em todo seu curso da vida. O HIPPY (Home Instruction Program for Preschool Youngsters), é um dos programas citados no relatório ‘Tackling Priority Public Health Conditions through the Social Determinants of Health’ do Institute of Health Equity. Seu princípio preconiza o estímulo às interações positivas entre pais e filhos, condição que desempenharia um papel fundamental na aprendizagem das crianças, aumentando significativamente o seu potencial.

[Leia Mais] |

Denise Barros/ Foto: Informe ENSP

Série sobre agrotóxicos (4): Nutrição e agrotóxicos. O que levamos para nossa mesa?

Entrevista com Denise Barros, concedida à Jaqueline Pimentel

17/10/14 | 13:10

Série sobre agrotóxicos fala hoje sobre a relação entre os pesticidas e aquilo que vai para a mesa dos brasileiros. Denise Barros, nutricionista e pesquisadora da ENSP, explica os danos que os agroquímicos podem trazer aos alimentos e consequentemente à saúde de quem os consome. Além disso aborda a importância do incentivo a alternativas saudáveis de produção agrícola, a exemplo da produção dos orgânicos. “A agricultura familiar tem sido muito estimulada pelo importante papel na economia do país, revaloriza a vida social do campo e do trabalho rural. Ela melhora a renda e consequentemente a alimentação e o acesso a bens e serviços. Somado a isso a agricultura familiar é menos mecanizada e mais humanizada permitindo o uso de recursos naturais no controle das pragas e da nutrição das terras para plantio, resultando em colheitas de alimentos mais saudáveis e livres de agrotóxicos”, destaca ela.

[Leia Mais] |

Comentários Recentes