Destaques

Abrasquianos contribuem com publicação internacional sobre microcefalia e determinação social da saúde

Por Bruno C. Dias

16/03/17 | 16:03

Produzido pela WATERLAT-GOBACIT, uma rede inter- e transdisciplinar de ensino, pesquisa e intervenção prática no campo da política e da gestão da água e dos serviços baseados no uso da água, o novo número 9 dos Cadernos de Trabalho da rede traz como tema central “Desigualdade estrutural e microcefalia: a determinação social de uma epidemia“. A publicação conta com a contribuição de diversos abrasquianos integrantes do Grupo Temático Saúde e Ambiente (GTSA/Abrasco) e importantes nomes da pesquisa epidemiológica, social e ambiental brasileira e latino-americana, como Lia Giraldo da Silva Augusto (autora principal de “Review of the Aedes aegypti control strategy is needed: chemical warfare or tackling the social determination“, junto com Solange Laurentino dos Santos e Finn Diderichsen); Idê Gomes Dantas Gurgel (“Controle de doenças transmitidas por vetores: um contrassenso na saúde coletiva“), Antônio Carlile Holanda Lavor (“Enfoques ecossistêmicos para o enfrentamento das arboviroses: construindo um modelo possível de controle vetorial sem o uso de venenos”, junto com Aline do Monte Gurgel e Clenio Azevedo Guedes); Ermínia Maricato (“As cidades, o mosquito e as reformas“).

[Leia Mais] |

c

O combate ao Aedes sob a ótica dos determinantes sociais da saúde

Por MultiRio

07/03/17 | 17:03

Mobilizar a população para combater os focos de reprodução do mosquito Aedes aegypti é fundamental para evitar possíveis epidemias de dengue, zika e chikungunya. Essa ação, no entanto, pode ser potencializada se estiver integrada a outras políticas e iniciativas.
O Aedes é uma espécie adaptada ao convívio com o ser humano, reproduzindo-se com mais facilidade em assentamentos urbanos do que em ambientes naturais. Assim, é importante ter uma visão ampla sobre as relações entre sua atuação como transmissor de doenças e as condições de vida das populações das cidades.
O Aedes já foi considerado erradicado do país, mas o crescimento desorganizado das grandes cidades brasileiras permitiu que ele voltasse. Uma cidade que evolui de forma planejada é capaz de oferecer serviços e garantir direitos a sua população com mais facilidade e qualidade. O desequilíbrio ambiental e as consequentes mudanças climáticas são outros macrofatores relacionados a possíveis epidemias de dengue, zika e chikungunya. O aumento de temperatura e a maior ocorrência de fenômenos climáticos, como chuvas fortes, formam um cenário ideal para a proliferação do mosquito. Por isso, a educação ambiental tem importância fundamental.

[Leia Mais] |

Health

Melhoria na governança e na cobertura de saúde reduz mortalidade no Brasil, diz estudo

Por Instituto Gonçalo Moniz - IGM

15/02/17 | 17:02

O papel da governança na melhoria da saúde da população é uma questão muito discutida em saúde global. No entanto, apesar de amplamente reconhecida como um elemento necessário, é difícil associar os seus efeitos da governança a desfechos na saúde (morbidade ou mortalidade). Analisando dados de 1.622 municípios brasileiros entre os anos 2000-12, os autores mediram o nível da governança local de saúde dentro de cada município e demonstraram que os municípios com melhores níveis de governança tiveram as maiores reduções na mortalidade. Eles também constataram que enquanto as variáveis socioeconômicas melhoraram ao longo do período, a cobertura de atenção primária foi associada com reduções na mortalidade por causas passíveis de tratamento (mortalidade evitável com cuidados de saúde oportunos e efetivos). “Nossos achados indicam que a expansão na cobertura da Estratégia de Saúde da Família teve um impacto substancial sobre a mortalidade, e que uma governança local sólida é importante para a implementação de serviços mais eficazes e para a obtenção de melhores resultados de saúde em termos de redução das taxas de mortalidade por causas passíveis de tratamento” concluíram os autores.

[Leia Mais] |

Comentários Recentes