Destaques

asa

Asa Cristina Laurell encerra Colóquio Latino-Americano de Formação em Saúde Pública

Por Informe ENSP

23/05/17 | 17:05

Asa Cristina Laurell dividiu sua fala em alguns tópicos. Citou Mario Testa e os sanitaristas latino-americanos, além de falar da complexidade do campo da saúde; da trajetória da relação contraditória entre saúde pública e medicina social/saúde coletiva; das políticas e práticas institucionais; e da educação em saúde pública no âmbito da saúde coletiva. Segundo ela, Mario Testa afirmava que “os sanitaristas latino-americanos são o grupo de profissionais mais frustrados, porque sabem perfeitamente o que fazer e não são capazes de fazer”. Em seguida, apontou alguns esclarecimentos iniciais, por exemplo, a relação entre medicina social e processos socioeconômicos e as condições de saúde (doença) de classes ou grupos sociais específicos; e a relação direta da saúde coletiva com a construção do Sistema Único de Saúde (SUS). A sanitarista comentou, ainda, sobre a trajetória de uma relação contraditória entre saúde pública e medicina social/saúde coletiva.

[Leia Mais] |

Capturar

Internacionalização na formação e determinantes sociais da saúde pautam últimos painéis de Colóquio Latino-Americano

Por * Talita Rodrigues

20/05/17 | 13:05

O último painel do I Colóquio Latino-Americano de formação em Saúde Pública e III Colóquio Brasil-Cuba de formação em Saúde Pública teve como tema Determinantes Sociais da Saúde e a Formação em Saúde Pública. Guilherme Albuquerque, do Núcleo de Estudos em Saúde Coletiva (Nesc), da Universidade Federal do Paraná (UFPR), destacou que estar saudável é ter condições de desenvolver toda a potencialidade do gênero humano. “Que a gente mantenha a utopia e permanentemente denuncie essa ordem social que, em última instância, determina nossa doença e nossa falta de saúde. Embora reconheçamos as contribuições que ela trouxe, essa sociedade não tolera qualquer planejamento no sentido de atender à necessidade humana; é mão do mercado que tem que organizar tudo”, disse Guilherme. Para o professor, é importante que se avance sobre o conceito de Determinantes Sociais da Saúde (DSS).

[Leia Mais] | 1 Comentário »

AMA

Série de reportagens e documentário sobre o combate à AIDS no Amazonas são lançados em Manaus

Por Jorge Salhani, com informações do UNAIDS

11/05/17 | 12:05

Segundo o Boletim Epidemiológico de HIV e AIDS do Ministério da Saúde, o Amazonas registrou, em 2015, uma taxa de casos de AIDS de 31,2 por 100 mil habitantes. O Estado ficou atrás apenas do Rio Grande do Sul (34,7) e de Santa Catarina (31,9). A diferença é que, enquanto a tendência do número de casos nos dois estados da região Sul é de queda, no Amazonas a situação a inversa: há um crescimento de 50% entre 2006 e 2015. O coeficiente de mortalidade por complicações relacionadas à AIDS aumentou em 45%. Os dados, para Georgiana Braga-Orillard, diretora do UNAIDS no Brasil, evidenciam que ainda há vários desafios a serem superados na região para que os serviços de prevenção, testagem e tratamento alcancem todas as pessoas. “Muitas pessoas deixam de fazer o teste ou o tratamento antirretroviral em suas comunidades por medo do preconceito.

[Leia Mais] |

Comentários Recentes