Destaques

‘Cadernos de Saúde Pública’ destaca o combate às desigualdades

Por Informe Ensp

18/07/18 | 16:07

Em destaque, os 30 anos do SUS. “O contexto de crise política e ameaças de desmonte do Estado e dos direitos sociais, nos fazem refletir sobre a urgência da construção de propostas alternativas que possam combater as desigualdades em suas múltiplas dimensões e determinações.” Outro foco da publicação é o 12º Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva (Abrascão 2018), que, pela primeira vez, será realizado na Fiocruz, de 26 a 29 deste mês. Os editorialistas Nísia Trindade Lima e Guilherme Franco Netto destacam que a sociedade brasileira encontra-se às vésperas do novo período presidencial, e à área de saúde coletiva caberá uma vez mais a formulação de propostas que permitam a defesa do SUS, da democracia e do futuro de um país onde os direitos sociais, civis e o desenvolvimento sustentável econômico, social e ambiental possam se efetivar.

[Leia Mais] |

fernando

Brasil será “paraíso dos agrotóxicos”, diz pesquisador

Entrevista com Fernando Carneiro, concedida a Anna Beatriz Anjos

04/07/18 | 14:07

A comissão especial criada na Câmara dos Deputados para discutir o projeto de lei 6.299/2002, que propõe alterações na atual legislação de agrotóxicos, aprovou texto que divide opiniões. De um lado, empresários do agronegócio comemoram o parecer do relator Luiz Nishimori (PR-PR) sob o argumento de que moderniza a aprovação e regulação dos pesticidas. Do outro, organizações de promoção à saúde coletiva e defesa do meio ambiente afirmam que o relatório flexibiliza significativamente o processo, o que representa riscos não só aos trabalhadores do campo, mas também aos consumidores dos alimentos expostos aos agrotóxicos. O pesquisador da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) do Ceará Fernando Carneiro engrossa o coro do segundo grupo.

[Leia Mais] |

Sem título

Pesquisadores da Fiocruz Amazônia alertam para o elevado risco de suicídio entre indígenas no País

Por Cristiane Barbosa (Fiocruz Amazônia Revista)

21/06/18 | 16:06

A taxa de mortalidade por suicídio em indígenas do Brasil chega a ser dez vezes maior do que a taxa observada na população não indígena, principalmente nos Estados do Amazonas, Mato Grosso do Sul e Roraima. Diferentemente do observado entre os não indígenas, no Brasil são verificadas taxas de mortalidade por suicídio mais elevadas entre os jovens indígenas. Embora os jovens indígenas do sexo masculino apresentem taxas de mortalidade por suicídio mais elevadas do que as das jovens indígenas do sexo feminino, estas últimas apresentam taxas muito maiores do que a das jovens não indígenas. Tanto entre indígenas como entre não indígenas o enforcamento é o principal método utilizado para lograrem o suicídio.

[Leia Mais] |

Comentários Recentes